• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg
  • Santista
    Santista

Vamos ver o industrial que não se preocupa com os efeitos do pó

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Quando confinado, o pó industrial produz risco de explosão (Foto Pixabay)

As poeiras e as fibras são tão ou mais combustíveis que a gasolina, o gás de cozinha ou o álcool. Não sabia? Pois é, a categoria deste blog, que aborda as áreas classificadas, faz questão de explicar sobre os riscos que levam às tragédias. Se há itens inflamáveis dentro dos ambientes industriais, que processam ou armazenam substâncias, é óbvio que algumas medidas de prevenção precisam ser tomadas. Diversas poeiras geradas na planta industrial se estiverem suspensas, como pó fino no ar, havendo uma fonte de ignição elétrica, por exemplo, podem levar à grave explosão. A maioria desses pós é combustível.

E existem diferenças das explosões de líquidos e gases daquelas ocasionadas por poeiras. Na mistura do gás e ar inflamado, a força da explosão faz com que a nuvem de gás se dissipe rapidamente. No caso de poeira, depois da primeira explosão, ocorrerão várias em cadeia, capazes de atingir e destruir peças e instalações, além de trabalhadores presentes no local. As chamadas explosões secundárias ocorrem devido às características das poeiras. As concentrações de pós definirão a violência da explosão. A granulometria do grão, a energia de ignição e o oxigênio no ar no ambiente confinado determinarão a extensão e gravidade da explosão.

“No caso dos pós-industriais, o limite inferior de inflamabilidade posiciona-se na porção de 20 a 60 g/m³. Por isso, é necessário controlar o acúmulo de poeiras no local de trabalho, geralmente depositado em pisos, elevadores, túneis e transportadores durante o tempo”, explica Paulo Raña, engenheiro e representante da empresa espanhola ADIX, especializada na prevenção de explosões e proteção de pessoas e ativos. Aquecidas a tal ponto que liberem gases de combustão, as poeiras concentradas serão inflamadas com uma fonte de ignição. Raña ressalta que para projetar um ambiente seguro nas unidades industriais é preciso instalar um sistema eficiente contra explosão, que atenda às normas técnicas nacionais e internacionais. Ah, em relação às ações de prevenção, tudo deve ser com mão de obra qualificada e matérias-primas de ponta.

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica. 

Um Comentário

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.