• Extingue
    Extingue
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Aposentadoria especial com a PEC 006/2019: como ficará?

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Como todo trabalhador, inclusive aquele que já passou dos 50 anos, estou interessada na discussão nacional envolvendo a reforma da Previdência, com a PEC 006/2019, já aprovada na Câmara Federal, e prestes a ser votada no Senado. Mas, para trazer este tema neste blog, que trata de saúde e segurança do trabalho,

Programas de prevenção devem ser fundamentados na cultura da segurança

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Para garantir a proteção e segurança do trabalhador, as empresas precisam elaborar programas de segurança e saúde no trabalho orientados ao atendimento à legislação sobre o tema. No entanto, os programas meramente legalistas, submetidos à fiscalização do estado, não são suficientes para garantir a efetiva preservação da integridade física e psicológica dos empregados.

Profissionais da saúde não podem ter sarampo, não é?

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

O Brasil não é para os fracos, não é mesmo? Ultimamente voltamos a ver as doenças que já estavam erradicadas retornarem e ameaçarem a população, como, por exemplo, o sarampo. Entre os profissionais de saúde, as medidas de prevenção contra o sarampo precisam ser bem direcionadas e efetivas.

Profissional de SST que não se comunica, socorre trabalhador acidentado

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

É inegável que a comunicação é um recurso essencial nas gestões de saúde e segurança do trabalho das empresas. Como explicar, por exemplo, ao operador de máquinas que ele deve usar os equipamentos de proteção individual durante toda a realização da tarefa? Pela comunicação, obviamente, porque não se pode obrigar,

DDS funciona porque diminui os riscos de acidentes

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral6

Em muitos DDS (Diálogo Diário de Segurança), ferramenta de gestão em segurança do trabalho, geralmente conduzidos por técnicos de segurança, são apontadas as ocorrências que poderiam ter sido evitadas. Por exemplo, o uso de ferramentas com defeito, demonstrando que os trabalhadores não estão sabendo discernir quanto aos riscos de um equipamento inadequado.

Para investigar acidentes do trabalho não se usa hackers, mas métodos científicos

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

É claro que num momento em que o setor de saúde e segurança do trabalho reconhece que mudanças do arcabouço técnico e legal virão pela frente, as empresas não podem achar simplesmente que não se deve mais seguir as normas regulamentadoras de SST. Nada disso!

NR 12 sofreu alterações, mas os riscos das máquinas continuam precisando de prevenção e proteção, sim

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

As especulações sobre a nova política de segurança do trabalho no País esgotaram-se, pelo menos por enquanto, com o anúncio pelo Governo, no último dia 30, da modernização das Normas Regulamentadoras (NRs) de Segurança e Saúde no Trabalho e a consolidação e simplificação de decretos trabalhistas.  

Os auditores da Subsecretaria de Inspeção do Trabalho da Secretaria de Trabalho precisam dar atenção aos representantes dos trabalhadores e empregadores

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Tenho escrito neste blog que os problemas gerados pelos anúncios do governo Bolsonaro de mudanças nas normas regulamentadoras de prevenção de doenças e acidentes do trabalho, bem como a extinção do Ministério do Trabalho, substituição do eSocial por outros sistemas de informações trabalhistas, estão relacionados à falta de interlocução entre os auditores fiscais destacados como novos responsáveis pelas políticas de SST e os líderes dos trabalhadores.

Quem se preocupa com os riscos dos agentes penitenciários?

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

A segurança pública é um grave problema nacional. A população vive amedrontada, pedindo a Deus, pois não dá para pedir aos homens das forças de segurança pública, para não ficar frente a frente com um meliante que possa lhe tirar seus bens materiais ou,

Trabalhador com juízo não vai querer cheirar cola para adoecer no futuro

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Não é preciso ser PHD para entender que trabalhadores que ficam expostos à tinta, cola ou solventes podem desenvolver problemas de saúde. Inclusive, uma pesquisa internacional publicada na revista Neurology concluiu que essas pessoas podem, durante a velhice, padecer com lapsos de memória.  O estudo descobriu também que indivíduos com alta exposição recente a solventes tinham um risco aumentado de declínio cognitivo e déficit de memória.