• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

E a aplicação de agrotóxicos no meio rural? Como proteger os trabalhadores?

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Hoje faço uma reflexão sobre o instrutivo texto de Luiz Carlos Castanheira, engenheiro agrônomo, de segurança do trabalho e membro do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS), que escreveu para a revista CIPA sobre os perigos e riscos mais comuns que acometem profissionais que laboram com produtos fitossanitários.

Construtora de político é condenada por descumprir normas de segurança do trabalho

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Não vou atacar a classe política brasileira porque os fatos, especialmente os revelados pela Operação Lava Jato, falam por si só: uma grande parte dos políticos, independentemente de partido, está apodrecida, no aspecto ético e moral. Felizmente, há ainda os sérios, honestos e que horam o voto do eleitor.

O papel de Getúlio Vargas para a segurança do trabalho

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Hoje trago um tema com gosto, pois história sempre foi uma das minhas disciplinas prediletas. A questão central deste post é sobre quem é o responsável pela segurança do trabalho no Brasil. Antes, porém, falarei sobre fatos e personagens históricos que marcaram o início do que temos atualmente em relação à legislação de proteção aos trabalhadores.

Sem PPRA fica difícil gerenciar os riscos ambientais

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Não custa lembrar. O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) auxilia as empresas a gerenciar os riscos físicos, químicos e biológicos. Uma pergunta recorrente entre os profissionais de saúde e segurança do trabalho é se os riscos mecânicos e ergonômicos precisam entrar no PPRA.

Programa de Conservação Auditiva: eficaz se for abrangente

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

É preciso que se diga que hoje uma das doenças ocupacionais mais comuns é a Perda Auditiva Induzida por Ruído, a PAIR.  Graças à tecnologia e à legislação muitos parques industriais já são menos ruidosos. Para evitar esse tipo de doença, o Programa de Conservação Auditivo (PCA),

Qual é o risco da nanotecnologia para a saúde dos trabalhadores? Nem os pesquisadores sabem ainda

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Não há perigo maior contra as ações de prevenção de acidentes e doenças do trabalho do que a falta de conhecimento.

Como vocês sabem, o setor de construção civil é um dos que mais acidenta trabalhadores. Objetos em queda,

Café com pão, acidentes não

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Quem não gosta de ir à padaria tomar café (bem brasileiro), comer pães fresquinhos e até degustar bolos e doces? Uma panificadora é um tipo de lugar que aquece a alma. Pena que também acrescente boas calorias ao nosso corpinho, não é mesmo? Mas esse prazer gastronômico é dado ao cliente.

Pesquisa mostra a ‘cara real’ dos riscos de trabalho dos metroviários de São Paulo

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Líderes do sindicato dos metroviários de São Paulo fizeram um pedido que tem todo meu apoio, pois sou contra as greves que, tantas vezes, já convocaram, prejudicando a população que depende de transporte público.

A solicitação do sindicato à Fundacentro para que o órgão elaborasse uma pesquisa sobre as condições de trabalho da categoria,

Indústria de alimentos: é bom ofertar trabalho e produtos. Mas, e a segurança dos empregados?

Por Emily Sobral

Apesar da desconfortável recessão no País, para quem trabalha numa indústria de alimentos saber que dispõe de salário para manter a família é uma forma, desculpe-me pelo trocadilho, de alimentar o ego. O problema é que para as indústrias que precisam sobreviver em ambiente econômico adverso, a redução de custos é uma das primeiras estratégias.

Respirar é preciso com o PPRA

A poluição do ar da cidade de São Paulo neste inverso seco tem sido dura de suportar. Os principais vilões desse caldeirão de poeiras são os carros, caminhões e ônibus que entopem as ruas de partículas “criminosas”. A resolução desse problema passa por ações políticas e culturais que não tenho porque abordar neste blog, que trata de SST.

12