• Vakinha
    Vakinha
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Setor portuário muda para assegurar maior segurança durante a pandemia

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

A torcida pelo coronavírus é grande por parte daqueles que estão politizando a pandemia, em prol de dividendos nas próximas eleições. Mas, felizmente, o Brasil tem andado, aos trancos e barrancos, especialmente no setor de segurança do trabalho.

Veja bem, os trabalhadores do setor portuário,

Em acidente de trabalho, a indenização também é (muito) necessária

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Todo mundo sabe que existe trabalhador no Brasil que adora ir atrás dos “meus direitos” na Justiça do Trabalho. Às vezes, por meio dos advogados, entra com um processo, levando demandas altamente irreais e até por vingança do patrão, que tanto lhe vez mal, enquanto trabalhou na ‘firma’.

Pau que bate em Chico, bate em Francisco

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Você sabe que qualquer empregado pode recusar-se a fazer determinada atividade no trabalho e não ser demitido por conta disso? Será que o sujeito é insolente ou atrevido? Só que não. Na legislação brasileira há o chamado ‘direito de recusa’. Trata-se apenas de a lei ser favorável ao trabalhador que esteja exposto a situações de risco grave e iminente.

Acidente de trabalho com dano estético dá direito à indenização

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Sofrer um acidente de trabalho que resulte em sequelas físicas é sempre mais penoso às vítimas. Quando há o chamado dano estético, em que o corpo é atingido, comprometendo a aparência, a situação é ainda pior por causa do aspecto psicológico. Essa é uma situação que tem resultado no aumento de demandas judiciais,

Novo cálculo da indenização por dano moral vai cair?

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

A pressão para um representante comercial atingir metas de vendas e, caso não consiga, “pagar um castigo” é um exemplo, sem dúvida nenhuma, típico do assédio moral. Mas há mais condutas abusivas, na maioria das vezes do superior hierárquico contra o empregado subordinado, que atingem a dignidade do ser humano e que resultam em sofrimento e,