• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Segundo pesquisa, juízes estão adoecendo por causa da ‘lógica produtivista’. E como fica o trabalhador que precisa da Justiça?

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Juízes vêm adoecendo? (Foto Pixabay)

Hoje vou tratar de um tema porque fiquei espantada com o resultado da pesquisa realizada pelo professor de sociologia Giovanni Alves, da Universidade Estadual Paulista – Unesp de Marília (SP), que apontou os impactos da modernização do judiciário sobre as condições de trabalho e saúde dos magistrados trabalhistas.

Não vou duvidar de sua seriedade e dos métodos corretos da pesquisa, até porque está baseada nas entrevistas com 450 juízes trabalhistas de todo País. Segundo o professor, foi possível constatar que a magistratura está adoecendo às pencas. Há juízes com depressão e síndrome do pânico, principalmente transtornos psicológicos. Inclusive, segundo ele, o Conselho Nacional de Justiça está ciente dessa realidade e já está adotando procedimentos para reduzir esses adoecimentos, assim como as empresas privadas fazem, que, por lei, precisam adotar medidas para proteger a saúde dos empregados. Até aí vejo um importante propósito da pesquisa, porque, afinal, toda categoria deve ser protegida dos riscos ocupacionais, e com os juízes não poderia ser diferente.

O que surpreende no trabalho do professor foi sua conclusão em relação às causas do adoecimento dos magistrados. Para ele, os juízes estão sendo vítimas da precarização do trabalho e de uma tal lógica produtivista, que está transformando a justiça, assim como está transformando a universidade, numa atividade operacional. Ele explica: “A lógica produtivista é aquela avaliada pelos resultados e pelas metas quantitativas. Há hoje um constrangimento desses profissionais”, explica. Para ele, essa forma de gestão e avaliação, que só leva em consideração a quantidade e não a qualidade da sentença tem adoecido os juízes. Segundo ele, há uma degradação dos valores civilizatórios.

Os juízes não podem ter parâmetros de gestão equivalentes aos de uma fábrica, por exemplo. Oi? Parece-me mais uma linguagem sociológica que não explica objetivamente qual é a causa dos adoecimentos dos juízes. Então, os juízes, que fazem parte de um segmento altamente qualificado e que exercem função de poder, não podem trabalhar com metas de produtividade? Os novos padrões de produção estão adoecendo os juízes? Há precarização do trabalho dos juízes? Peraí, e quanto ao trabalhador que precisa da justiça do trabalho e é obrigada a esperar meses ou anos para que a primeira audiência seja marcada?

Sabemos que milhares de processos abarrotam os tribunais, e quem mais sofre é o cidadão, o trabalhador, que fica à mercê da fila de análises das causas, esperando a sentença, depois de anos de espera. Não entendi qual é a sugestão que o pesquisador oferece para resolver o problema do adoecimento dos juízes, mas parece-me que é oferecer mais tempo, para que despachem os processos com qualidade e, para isso, não podem ser pressionados nem podem submeter-se à lógica produtivista. Ora, se o problema está na quantidade de processos que chegam aos tribunais, para um número pequeno de juízes, a solução parece ser que se abram mais concursos. Agora, que os juízes não devam ser céleres em suas atividades, aí já é demais!

Tenho um ponto de vista, ainda que respeite a função de juiz, mas, para o bem da sociedade, a magistratura precisa ser mais PRODUTIVA. Quanto aos casos de adoecimento dos juízes, sugiro que mais pesquisas sejam feitas para que haja novas conclusões

7 Comentários

  1. paulo carvalho

    Muita boa análise. Para se ter solução é preciso ter informação séria e independente. E quem mais sofre é quem precisa desse serviço, nao só quem presta o serviço.

  2. Inalda Franco

    Pois é, Emily, acho corretíssima sua análise. Quer dizer que juízes querem trabalhar menos. mas e como ficam as milhares de causas que aguardam sentenças? Aos juízes, compreensão. aos trabalhadores, a eterna espera.

  3. Nei Silva

    quer saber? isso é muito mimimi de juízes. ganham bem e são poderosos, e ainda querem mais condições de trabalho? é gozação com o trabalhador que precisa da Justiça!

  4. Maria

    Que tal simplificar as leis trabalhistas? Que tal diminuir a quantidade de leis e regulações? Que tal modernizar a CLT? O país gasta mais com a Justiça do Trabalho do que com as indenizações trabalhistas. Isto é que é o oposto de produtividade. Precisamos mudar a mentalidade ou não sairemos do buraco.

  5. Sulamita Saad

    é um absurdo essa pesquisa! completa inversão de valores! esses juízes são arrogantes, corruptos e preguiçosos. é revoltante!

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.