• Vakinha
    Vakinha
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Reflexão sobre a segurança do trabalho

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Antes de NRs e fiscalização, é preciso pensar a segurança do trabalho (Foto Pixabay)

Em segurança do trabalho, a expressão 100% seguro é possível? A resposta obviamente é não! A área das empresas responsável pela prevenção contra doenças e acidentes do trabalho tem como objetivo preservar a integridade física e psíquica dos empregados, mas é preciso, antes de tudo, haver gestão dos riscos e perigos inerentes às atividades laborais. Essa gestão é complexa, baseada num arcabouço normativo, para eliminar as condições inseguras do ambiente, além de capacitação dos empregados e implantação de medidas práticas de segurança.

Para analisar o êxito de um programa de prevenção de acidentes de trabalho, não basta apenas cobrar a execução de programa e cumprimento à legislação de segurança ocupacional. Por exemplo, uma indústria que cumpre com os aspectos materiais da norma regulamentadora 12 (NR 12), que trata da segurança de máquinas e equipamentos, adotando medidas completas sobre todo o ciclo de vida dos equipamentos, que inclui transporte, instalação, utilização, manutenção e até mesmo sua eliminação ao final da vida útil, pode falhar no aspecto comportamental que envolve seus empregados.

Contra acidentes, esses precisam desenvolver a percepção dos riscos, que é um fator humano que desafia os profissionais de segurança do trabalho. O aspecto subjetivo da gestão de segurança é inegável e, se necessário, deve-se detectar e modificar o comportamento das pessoas que se posicionam de forma negligente frente aos riscos. Até porque cada um tem um significado de risco ou perigo, independentemente das definições previstas por especialistas e normas.

Ainda há hoje, em funções operacionais, como operadores de máquinas de grande porte, um flerte insolente com o risco. Portanto, a gestão de segurança do trabalho pode até ter como meta 100%, mas atingir essa marca é uma questão mais complicada.

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.