• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Quem se preocupa com a saúde dos coletores de lixo?

Quem não se lembra do comentário feito pelo jornalista Boris Casoy, durante o Jornal da Band, vazado por uma falha técnica em que dizia: “Que ‘m.’: dois lixeiros desejando felicidades do alto das suas vassouras. O mais baixo da escala do trabalho”, em uma reportagem ao vivo, no réveillon de 2009? O áudio gerou grande repercussão e parou na Justiça, além de um pedido de retratação do jornalista. Infelizmente, os garis, profissionais que prestam enormes serviços à população, sofrem mesmo o estigma de exercerem uma profissão menor. Não vou entrar na questão sociológica, porque nosso “negócio” é SST. E nesse campo, os coletores de lixo correm inúmeros riscos. Ao percorrer as ruas, esses profissionais estão expostos desde mordidas de cães, passando por corte em pés e mãos, até doenças ocupacionais pelas condições insalubres de trabalho. Se por ou lado, são eles que contribuem para a saúde ambiental, a proliferação de vetores e redução da incidência de doenças da população, por outro, estão vulneráveis aos problemas relacionados aos agentes ergonômicos, biológicos e físicos. O regulamento do Ministério do Trabalho e Emprego não distingue entre os trabalhadores que recolhem e os que varrem o lixo urbano. Entretanto, a atividade deve prever cuidados para minimizar os riscos, com o cumprimento dos requisitos da NR-6 e dos Artigos 166 e 167 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), que obriga o fornecimento de EPI. Também é imprescindível que os coletores passem por treinamento prático e operacional, que os conscientizem sobre os riscos envolvidos na coleta de resíduos e os equipamentos para seu acondicionamento. No trabalho de conscientização, é de grande valia desenvolver-lhes a autoestima, para transformar a maneira correta de trabalhar em um hábito diário, para não permitir práticas inseguras que possam causar acidentes. Além, é claro, de sentirem-se importantes no conjunto da sociedade para que gafes estúpidas como a do jornalista Boris não os façam sentir-se humilhados.

Por Emily Sobral

2 Comentários

  1. Diego Belzunces Pedrosa

    Muito bem lembrado esse episódio o que demonstra que assim
    como tem uma mídia corrupta, podre ,que só desinforma
    também temos mídias sérias comprometidas com a boa
    informação e com o bem estar do trabalhador
    continue assim Emily

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.