• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Proposta para acabar com os erros em áreas classificadas

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Proteção em área classificada evita explosões (Foto Pixabay)

Não estamos diante de um problema sem solução. Seguir as normas em relação às plantas industriais nos ambientes com atmosferas explosivas não é tarefa assim tão difícil. O que falta são, por um lado, empresários conscientes de suas obrigações quanto à necessidade de fazer aporte financeiro em sistema e pessoas e, por outro, profissionais capacitados a executar projetos específicos de proteção em áreas classificadas.

Não é qualquer que tem conhecimento dos riscos de explosão em indústria que processa e manipula gases, vapores e poeiras. Contratar profissional que faça o documento chamado Desenho de Classificação de Áreas é o primeiro passo. Mas o parque industrial nacional praticamente não cumpre a exigência do documento. Quando a fiscalização encontra esse papel, muitas vezes, ele está arquivado na empresa por mera formalidade.

A falta de capacitação profissional também é um problema para a prevenção de locais potencialmente explosivos. O que se nota, mais recentemente, é que as pessoas envolvidas com equipamentos e serviços para atmosferas explosivas vêm correndo atrás de uma abrangente certificação ao setor. Profissional inexperiente pode provocar estrago quando contratado por empresários sem percepção do que pode vir a ser uma tragédia provocada por substância inflamável. Riscos irreais apontados por quem copia e cola projetos considerados padrão comprometem a boa gestão de segurança industrial. Há falha mais grave quando não se conta com um especialista que saiba apontar os riscos reais da planta. Nesse caso, a empresa não receberá as medidas de proteção específicas à sua situação. Por vezes, as indústrias gastam muito mais recursos financeiros para consertar um ‘documento’ que não condiz com a complexidade técnica que envolve uma proteção Ex.

Paulo Ranã, engenheiro e representante da empresa espanhola ADIX, especializada na prevenção de explosões e proteção de pessoas e ativos, lembra que a norma regulamentadora 10, de segurança em instalações e serviços em eletricidade, impõe o uso de equipamentos elétricos apropriados ao que foi descrito no desenho de classificação de áreas. Os requisitos técnicos da NR 10 sobre proteção e prevenção em ambientes com atmosferas explosivas tipifica as três zonas (Zona 0/20, Zona 01/21 e Zona 02/22, que são os graus de risco), adequando-as ao grupo de periculosidade dos inflamáveis e à classe de temperatura, bem como sua certificação.

A grande verdade é que não se pode atuar nessa área com amadorismo, pois para a elevação dos níveis de conformidade normativa e de segurança industrial, ao longo do ciclo total de vida das instalações “Ex”, deve-se promover uma certificação geral e irrestrita no setor. Deve-se certificar empresas de prestação de serviços “Ex” (incluindo classificação de áreas, projeto, montagem, inspeção, comissionamento, manutenção e reparos de equipamentos e instalações “Ex”), bem como certificar as competências pessoais “Ex” dos profissionais que executam tais atividades.

 

Um Comentário

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.