• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Perigo e risco não são sinônimos

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Exposto ao perigo… (Foto Pixabay)

Vendo uma grandiosa barragem de dejetos do setor de mineração como a que caiu em Brumadinho em janeiro, logo pensamos no tamanho do perigo e do risco que era trabalhar naquele ambiente. Bem, apesar de as palavras perigo e risco serem usadas, muitas vezes, como sinônimos, elas têm significados diferentes. Por exemplo, uma tempestade com raios representa perigo quando observada de um lugar seguro. Já, ao ficar exposto a ela, num campo aberto, aí sim, representa um baita risco. E quando o assunto é segurança do trabalho, saber essa diferença é fundamental.

O perigo está sempre relacionado à natureza do elemento em questão, ou seja, é algo intrínseco a ele, como o fogo. Mas quando o perigo passa a representar também um risco? Vamos esclarecer: o risco está relacionado à probabilidade de um acidente acontecer, variando de acordo com a exposição ao perigo. Quer dizer, quando alguém interage com o perigo sem os cuidados preventivos necessários, como pular uma fogueira, por exemplo, o risco é iminente.

Quando usada com sabedoria e precauções de segurança, uma fonte de perigo como o fogo pode tornar-se um risco aceitável. No ambiente laboral das empresas, a análise de risco feita pelos profissionais de SST deve calcular seus fatores e apresentar medidas de prevenção. Esses profissionais precisam tornar o risco sob controle. Quer um exemplo? Os agrotóxicos são substâncias químicas que representam um perigo. No entanto, sua exposição pode ser controlada e não representar um risco aos trabalhadores do agronegócio. Por isso, eles precisam usar os equipamentos de proteção individual, seguir as instruções da bula e receituário agronômetro, e respeitar o tempo mínimo entre a aplicação e a colheita. Logo, é muito importante a avaliação do risco para propor as formas corretas de proteção, diminuindo os danos relacionados a essa exposição.

Quando se trata de perigo, é preciso determinar a exposição para que o risco seja controlado e considerado aceitável.

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

Um Comentário

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.