• Vakinha
    Vakinha
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Sem fogo no mar!

Não são raros os casos de incêndio em embarcações no País. A Superintendência de Segurança do Tráfego Aquaviário da Diretoria de Portos e Costas (DPC), da Marinha do Brasil, divulgou recentemente os números dos sinistros: dos 144 incêndios em embarcações registrados no Brasil nos últimos três anos, 63 ocorreram na categoria de esporte e recreio, o que representa quase metade dos casos (44%), com uma incidência expressiva em lanchas (48%). Ora, com a chegada do verão, o tráfego de embarcações de esporte e recreio no litoral brasileiro aumenta de forma considerável. Isso não quer dizer que o trabalhador que tem um carro Volkwagen na garagem, também tem um iate atracado no porto. Mas na Bahia, por exemplo, segundo a Capitania dos Postos, há 18 mil embarcações registradas. Daí, a campanha de prevenção de incêndios em embarcações lançada em novembro pela Marinha, faz todo o sentido. Esta é voltada a conscientizar proprietários e navegadores sobre a necessidade de evitar acidentes envolvendo o fogo.

O slogan da campanha, “Todo grande incêndio começa com um pequeno descuido” já diz tudo.  As orientações da campanha para a prevenção de incêndio a bordo são claras e buscam educar o “marinheiro” a evitar acidentes, inclusive porque, além de poder ceifar vidas, prejudicam o meio ambiente. O risco elétrico como desencadeador de incêndio já é de conhecimento geral, mas dentro de um barco, o quadro elétrico, as fiações e os fusíveis, mais do que nunca, devem manter-se em bom estado. O compartimento do motor, que possui gases inflamáveis, deve sempre ser ventilado, antes de ligar a máquina. Logicamente, o extintor não pode ser um instrumento para fazer figuração. Extintor sem estar carregado e pronto ao uso só serve para incriminar o proprietário da embarcação quando o sinistro acontece. As investigações envolvendo incêndio conseguem chegar facilmente a um extintor “inútil”, que não conseguiu extinguir o principio de incêndio, pois não tinha dentro do cilindro o agente debelador.

Materiais inflamáveis não podem ficar guardados próximo do motor nem de superfícies aquecidas. Também o botijão de gás deve ficar em local arejado e, de preferência, em área externa. Os passageiros de embarcações também precisam conhecer as dicas para prevenir incêndios. Por exemplo: fumar em ambiente fechado, no local do motor e em áreas com materiais inflamáveis, nem pensar! Outro cuidado divulgado pela campanha é quanto ao uso de fritadeiras, fornos elétricos e churrasqueiras a bordo. Navegar é preciso, mas sem incêndio!

Por Emily Sobral

Luva cirúrgica, história de amor e dupla proteção

Quando li sobre a história do surgimento da luva cirúrgica fiquei emocionada. Como toda mulher, carrego o “DNA” do romantismo. Não estou dizendo que os homens não possam ser apaixonados. Pelo contrário, as luvas cirúrgicas só existiram graças ao amor platônico de um médico. Quer saber? O cirurgião americano e chefe de um hospital em Baltimore (USA),William Stewart Halsted (1852-1922),

Atenção, Raio-X: entrada restrita. E para quem trabalha lá dentro?

Já fiz, durante a vida, inúmeros exames de radiografia, que a gente chamava de “tirar uma chapa”. Como se vê, ao contar esse detalhe, entrego minha idade. Nos prontos socorros, por vezes, os médicos solicitavam o exame para que pudessem dar o diagnóstico sobre meus sintomas físicos. Enquanto aguardava minha vez, costumava ler na sala de espera as placas informando que grávidas devem evitar submeter-se ao Raio-X,

SÉRIE CEREST DO BRASIL: Aracati, CE, visual e gente astral. E com SST é ainda melhor …

Quem nunca ouviu falar na praia de Canoa Quebrada, no Ceará? Nos anos 70, a vila de pescadores transformou-se num ponto turístico, cultuado por hippies que se apaixonaram pela beleza paradisíaca e a hospitalidade dos seus habitantes. Esse cenário cinematográfico fica a apenas 165 km ao leste de Fortaleza, capital do Estado do Ceará, e faz parte do município de Aracati.

Médicos e enfermeiros. Negligentes com a própria saúde, NR 32 veio leva-los à sensatez

 A realidade ocupacional no segmento dos estabelecimentos de assistência à saúde (EAS) convive com contradições. Por um lado, eles são os que menos se preocupam com a saúde dos seus traba­lhadores. Ao mesmo tempo, por outro, gestores de serviços de saúde iniciam verdadeira cruzada para que a saúde e segurança de seus profissionais estejam no centro das discussões e nos planos de investimentos.

Combate a incêndio em ambiente confinado: perigo à saúde dos bombeiros

Considero o combate a incêndio uma tarefa heroica, especialmente os de grandes proporções. Há, porém, o combate em ambiente confinado que é muito arriscado aos profissionais. Esse tipo de incêndio ocorre em estruturas de edificações urbanas, atingindo seus compartimentos e gerando altíssimas temperaturas com concentração de fumaças e gases. Com a experiência de 31 anos atuando como bombeiro voluntário em Joinville,

Porque é importante planejar um bom canteiro de obras

Neste blog, escrever sobre os riscos em canteiros de obras é mais do que um dever, é missão. Afinal, a indústria da construção é traduzida na prática por essas áreas de trabalho que são fixas, porém temporárias.

Toda instalação do canteiro estará condicionada ao tamanho do empreendimento a ser construído e da quantidade de material que será armazenado durante sua execução.

Arco elétrico: brilho fatal

As atividades laborais com eletricidade requerem extremos cuidados para que sejam executadas com segurança. O arco elétrico, por exemplo, é altamente perigoso e há medidas e regulamentação que previnem acidentes, por vezes, fatais. Os relâmpagos são exemplos de arco elétrico, que ocorre no ambiente natural do planeta Terra. Já o arco elétrico na área de eletricidade forma-se pela energia liberada de forma instantânea pelo ar entre dois condutores energizados e a terra,

Engenheiros e técnicos de segurança do trabalho: que os deuses protejam quem protege os trabalhadores

Para quem cresceu na terra de todos os santos (Bahia), tenho algumas crendices: por exemplo, só uso branco na sexta-feira. É uma forma de reverenciar o Senhor do Bonfim, consagrado nesse dia. Sim, foi apenas depois que saí de Salvador e vim morar em São Paulo, que passei a manter esse ritual. Os leitores já devem estar se perguntando o que há de superstição com SST.

ANAMT indigna-se com Portaria do MTPS sobre realização de exames toxicológicos em motoristas e solta nota

“Resignar-se ou indignar-se”, acho que era mais ou menos isso o que dizia o antropólogo e político Darcy Ribeiro. Em 17 de novembro, o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, assinou a Portaria N° 116, que regulamenta a realização de exames toxicológicos em motoristas profissionais do transporte rodoviário coletivo de passageiros e de cargas.