• Extingue
    Extingue
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Chuva e raios no canteiro de obra: todo cuidado é pouco!

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

É preciso adotar procedimentos contra chuvas e raios em trabalhos a céu aberto (Foto Pixabay)

Infelizmente, com a crise econômica vivida pelo País, os trabalhadores da construção civil estão perambulando em busca de um emprego em vez de estarem laborando dentro dos canteiros de obra.

Mas não há situação difícil que dure para sempre. E quando estiverem dentro dos canteiros, trabalhando, é bom que eles reconheçam os riscos aos quais estarão expostos. Quer saber, nesse setor econômico muitos acidentes são provocados por causa das chuvas e raios que atingem os canteiros de obras, que são ambientes de trabalho a céu aberto.

Segundo a NR 18, norma regulamentadora para a segurança na construção civil, o planejamento é um item essencial na execução do canteiro, local onde serão realizadas praticamente todas as atividades do empreendimento. Portanto, estes devem ser providos de para-raios, e seu tamanho vai depender da área total. Os raios podem ainda provocar incêndios, especialmente se os pontos elétricos forem mal projetados e sem proteção adequada. Assim, o canteiro deve contar com extintores e brigada de incêndio para debelar o início do fogo imediatamente.

A fiação elétrica deve ter aterramento. Quando houver chuva e raios, os trabalhadores precisam ficar afastados da rede e cabos elétricos, pois água nunca combinou com eletricidade, não é mesmo? Outro risco no canteiro com as chuvas é em função da água, que torna as superfícies escorregadias, precisando ficar atentos com as escadas e andaimes, usando sempre as botas de proteção, entre outros equipamentos de proteção individual.

Obviamente, as chuvas podem elevar a ocorrência de acidentes, com os deslizamentos de terra, especialmente na fase de terraplanagem. Os barrancos podem ceder em função da quantidade de água infiltrada, podendo inclusive afetar as alvenarias recém-construídas. A depender da quantidade de chuva, ventos e raios, o melhor é parar as atividades do canteiro para preservar a integridade dos empregados. Os ventos fortes podem também abalar as estruturas de alvenaria recém-construídas, além de colocar em perigo os operários em balancins e andaimes. O ideal é que ninguém esteja nessas estruturas durante os temporais.

Prevenir sempre pode! E operário quer emprego, não morrer no canteiro de obra.

CLIQUE NO PLAY DO THUMBNAIL ABAIXO E OUÇA O MAIS NOVO EPISÓDIO DA SÉRIE ESPAÇOS CONFINADOS

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

Ter plano de resgate do trabalhador em altura também é prevenção

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

As medidas de proteção contra quedas estão descritas na norma regulamentadora 35 (NR5), que relata um conjunto de regras para a segurança dos trabalhadores. Essa NR dita apenas os requisitos mínimos para não ocorrer uma queda, mas convenhamos que há muitos procedimentos para evitar um acidente com quem executa atividades acima de dois metros do nível inferior.

Você sabe para que serve a medicina do trabalho?

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Ora, a medicina do trabalho nas empresas vai além das consultas para admissão, exames periódicos e de rescisão do contrato. Na verdade, o médico do trabalho procura fazer a prevenção precoce das doenças e entender estatisticamente como se encontra a saúde daquela população.

Corra e entenda da NR 37, antes que seja extinta

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Certa feita, o grande compositor e cantor Tom Jobim disse: “o Brasil não é para principiantes”. Por que lembro Tom para falar de segurança do trabalho? Pois bem, imagine os profissionais de SST sem saberem se as normas regulamentadoras vão ser extintas pelo atual governo,

Com a Notificação dos Acidentes de Trabalho eficiente não há espaço para falácias

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Eu torço para que os mais de 700 mil acidentes de trabalho por ano no Brasil, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), caiam pela metade. Ou melhor, que essa estatística venha decrescendo ano a ano.

O problema é que esses números baseados em suposição,

Robô não se acidenta, nem fica doente. Como é a atuação do trabalhador na indústria 4.0?

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Não faço parte da geração Y, porque não nasci em fins dos anos 70 e início dos anos 90. Mas, como jornalista, acompanho os grandes avanços tecnológicos e a prosperidade econômica. Interessa-me também o mercado de trabalho e, especialmente, a saúde e segurança dos trabalhadores em diversos setores de atuação.

É preciso prevenir contra os riscos da sílica

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Vamos falar de pó? Não, não se trata da nociva e prejudicial cocaína, droga que destrói milhares de dependentes no mundo. Mas, infelizmente, o pó que trataremos aqui neste blog de segurança do trabalho, também pode ser muito danoso aos trabalhadores. Tratam-se das poeiras minerais e metálicas,

Por que a segurança do trabalho deve estar dentro da sala de aula? Porque sim, ora!

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Não há a menor dúvida de que os problemas do Brasil só serão resolvidos com educação. E isso se faz com pessoas e políticas voltadas à causa. E com a segurança do trabalho não seria diferente, não é? Se os acidentes de trabalho voltaram a crescer,

Profissionais reúnem-se para difundir conhecimento sobre detecção de gases

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Por quase dois anos, alertei neste blog com meus posts, semanalmente, o risco das atmosferas explosivas no setor de agroindústria. Exemplificando, os silos de armazenamento de grãos, que é um espaço confinado, e mantém ventilação insuficiente para excluir os contaminantes, podem explodir e, infelizmente,

Motoristas de ônibus podem ficar surdos. O que fazer, afinal?

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Qual é o trabalhador que gosta de laborar com barulho? Vamos falar honestamente: creio que apenas os disc jockeys (DJs) gostam, não é mesmo? Eles trabalham reproduzindo músicas nas pistas de dança de bailes, clubes, boates e danceterias.  Sempre com volumes altíssimos.