• Vakinha
    Vakinha
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

EPI, qual indicar?

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

A escolha dos EPIs depende da análise dos riscos (Foto Pixabay)

Hoje escrevo sobre uma clássica pergunta na gestão de segurança do trabalho: como escolher o Equipamento de Proteção Individual (EPI) para as atividades laborais? Primeiramente, devem-se conhecer os riscos específicos e o ambiente de cada setor produtivo. Afinal, é a natureza da atividade que vai indicar a ação preventiva aos riscos existentes.

Tratamos, por exemplo, de um serviço de saúde em tempos de pandemia. Ao fazer a análise de risco desses estabelecimentos, o gestor de segurança vai constatar que o risco biológico é facilmente encontrado nesse tipo de ambiente hospitalar. Portanto, o número de acidentes com os profissionais de saúde envolve episódios com agulhas ou outros perfurocortantes, além de contato com sangue ou materiais contaminados. Mas os trabalhadores da saúde estão expostos também aos riscos físicos, tais como ruído, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas, radiações ionizantes e radiações não ionizantes, os químicos, devido às substâncias nas formas de poeira, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores, os psicossociais gerados pela fadiga e tensão, a perda do controle sobre o trabalho, o impacto dos rodízios do trabalho noturno e em turnos, das horas extras, das dobras de plantão, e os ergonômicos, pela postura inadequada com a movimentação de pacientes, equipamentos, materiais e mobiliário não reguláveis.

Como se pode notar, a escolha do equipamento de proteção individual em serviços de saúde vai abranger uma lista grande. Para exemplificar sobre o risco biológico, há de se ter em mente os seguintes EPIs: máscara PFF2/N95, indicada para a proteção de doenças por transmissão aérea como tuberculose, varicela, sarampo e SARG (coronavírus), luva de borracha para proteção da pele à exposição de material biológico, óculos de acrílico para proteção da mucosa ocular. Os óculos devem ser de material acrílico para não interferir na acuidade visual do profissional e permitir uma perfeita adaptação à face, o protetor facial de acrílico para quem atua na área de necropsia e laboratórios, avental impermeável, capote de manga comprida, bota ou sapato fechado e o gorro são considerados dispositivos que asseguram, também, a proteção do profissional.

CLIQUE NO PLAY DO THUMBNAIL ABAIXO E OUÇA O PROGRAMA ‘RESPIRAR SEM ERRAR’ COM O TRIO EMILY SOBRAL, DOROTHEA PIRATININGA E EDUARDO ELIAS. 

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.</a

Adapte o trabalho ao empregado, pois assim se faz ergonomia

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Há um conceito explícito na norma regulamentadora 17, que trata de ergonomia no trabalho, que busca adaptar o trabalho ao homem. Como assim? A NR apresenta parâmetros que permitem a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores (estuda o comportamento do ser humano e os processos que o organizam),

Há obrigações legais com o home office?

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

O planeta e as relações de trabalho mudaram por causa do vírus chinês? Espero que não, porque essa coisa de novo normal parece-me sem pé nem cabeça. Porém, admito que o home office, de fato, virou praticamente um padrão de trabalho em diversos setores,

Quem deve avaliar os riscos psicossociais do trabalho?

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Quando a área de segurança do trabalho foi introduzida no Brasil, a equipe de profissionais que atuava nas empresas era composta basicamente de engenheiro, médico do trabalho e do técnico de segurança. Era uma verdadeira reserva de mercado, não é mesmo?

Hoje, a equipe é mais aberta,

Segurança em eletricidade: precisa ou não?

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

O trabalho dos eletricistas é extremamente arriscado, e acho que ninguém duvida disso. Mas a norma regulamentadora 10, NR 10, especifica tecnicamente todas as ações de segurança a serem tomadas. Vou destacar o item da norma que garante que a instalação que for passar por uma atividade elétrica seja previamente desenergizada.

Emissão de CAT por Covid-19: só se houver nexo causal

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Vou voltar ao assunto polêmico, pois há profissionais de segurança do trabalho da linha do politicamente correto, que afirmam que a contaminação por Covid-19 deve ser considerada como doença relacionada ao trabalho. Sei… Por exemplo, um padeiro afogou as mágoas, dançando no sábado à noite num baile funk em Paraisópolis,

O PGR e o GRO poderão fazer a diferença contra os sinistros ocupacionais

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Um dos maiores problemas contra o alto número de doenças e acidentes de trabalho no Brasil é que os donos de empresas não conhecem os riscos relacionados aos seus negócios. Assim, sem analisá-los, não promovem medidas preventivas. Mas, ao menos, as ferramentas de gestão de segurança do trabalho existem.

Fiscalização não é para inglês ver

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Chegamos a um momento no País em que é preciso revelar: a grama é verde, meu povo! Transportando essa obviedade à área de segurança do trabalho, reavivo a memória dos responsáveis pela gestão de SST das empresas: ao inspecionar as instalações de um estabelecimento empresarial, o auditor fiscal,

No Brasil está todo trabalhador ficando louco!

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Vou contar um segredo: ausentei-me por uma semana da minha lida diária jornalística neste site para “encontrar e aprumar o eixo”, imitando a atitude de certo político brasileiro ocorrida na década de 80. Ora, quem não foi atingido pelos estragos da pandemia causada pelo ‘vírus chinês’? Comigo não seria diferente,

Operação rastreará produtos perigosos como ação preventiva

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Sabemos que uma tragédia devastadora serve ao menos para uma coisa: criar medidas para que não ocorra novamente. No início de agosto, o mundo assistiu estarrecido à grande explosão em Beirute, capital do Líbano, deixando centenas de mortos e feridos.

O fato esteve relacionado à amônia,