• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Precaução: muito além da prevenção

Atualmente, o movimento em busca de ambientes laborais mais seguros é mundial.

Em termos de saúde e segurança no trabalho, a comunidade europeia destaca-se como a mais avançada, e isso se deve à sua cultura prevencionista, já bem enraizada na população.

Em 2014 o governo chinês convidou várias organizações internacionais para discutir a necessidade de inserir no currículo de educação do ensino básico a questão da saúde e segurança, não apenas no trabalho, mas na vida. Isso envolve uma abordagem universalizada, não somente focada em treinamentos específicos mas com base na formação dos indivíduos.

As tecnologias avançam numa velocidade muito grande, e o desafio está em detectar os possíveis riscos à saúde que elas trazem e como eliminá-los ou pelo menos minimizá-los. E isso está um passo além da prevenção: trata-se de precaução.

E qual a diferença entre prevenção e precaução?

A primeira refere-se a proteger as pessoas de riscos conhecidos. A segunda, de possibilidades de riscos apontadas por estudos científicos.

Nesse caso, diante de uma incerteza científica, por precaução, o Estado toma medidas para evitar a exposição do indivíduo ao suposto perigo. Um exemplo bem claro disso é o que vem ocorrendo na Europa: está proibida a venda de telefone celular para menores de 16 anos na França, uma vez que pesquisas apontam para um efeito térmico na massa encefálica de crianças expostas ao aparelho por mais de 10 minutos, o que pode levar a um prejuízo cognitivo. Na Bélgica, o governo estabelece o fim de qualquer publicidade que incentive o uso de telefonia móvel entre crianças e obriga os fabricantes de aparelhos a informar a taxa de absorção específica (SAR), unidade de medição do nível de radiofrequência absorvida pelo corpo humano no momento do uso do celular. Tais medidas vigoram até que conclusões científicas mais apuradas sejam divulgadas.

Trata-se de um exagero? Somente o futuro dirá, mas o assunto merece ser amplamente discutido. Hoje, seria impensável viver sem celular, mas esse dispositivo entrou nas nossas vidas há muito pouco tempo para sabermos quais possíveis consequencias danosas à saúde ele pode nos causar. Segundo Robson Spinelli Gomes, diretor técnico da Fundacentro, esses são os novos paradigmas de saúde e segurança, e o Estado tem a obrigação de proteger a população inclusive das perspectivas de risco.

Por Dorothea Piratininga

 

 

Experiência mais displicência são iguais a acidentes em tratores

 

No trânsito das cidades há motoristas de carros imprudentes que excedem a velocidade, especialmente quando embriagados. Eles atropelam, matam e matam-se. Ficamos chocados com a frequência com que acontecem. No campo, o trator é o veículo que oferece mais riscos aos trabalhadores. Por ter maior fonte de potência para acionar os implementos agrícolas,

NR 12 – Instrumento de prevenção de acidentes com máquinas e equipamentos. Mesmo em vigor, indústrias pedem mais tempo para cumprir a norma

As máquinas do parque industrial do País ainda não estão em dia com a última versão da NR12. A revisão da norma, que trata da segurança no trabalho em máquinas e equipamentos, foi necessária por causa das novas tecnologias incorporadas aos maquinários. Logicamente, por fazer parte da legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE),

Conscientização é a chave

Desde o acidente, Peralta percorre o Brasil dando palestras nas empresas

As empresas brasileiras vêm investindo cada vez mais em equipamentos e no cumprimento de normas e leis de segurança no trabalho, a fim de evitar o que pode ser uma tragédia pessoal para o empregado e uma tremenda dor de cabeça para o empregador.

Ganhe o livro de Flávio Peralta e entenda por que a prevenção de acidentes do trabalho é tão importante

 

“Minha maior alegria foi ter um filho. Quando Jane engravidou, estávamos casados havia dois anos e ainda era um período de adaptação para nós e nossas famílias… Ao voltarmos para casa percebi que o fato de não ter mais os braços seria bastante complicado. Quando eu me sentava, Jane colocava o bebê em meu colo por alguns minutos.

Ganhe o livro de Flávio Peralta e entenda por que a prevenção de acidentes do trabalho é tão importante

 

“Minha maior alegria foi ter um filho. Quando Jane engravidou, estávamos casados havia dois anos e ainda era um período de adaptação para nós e nossas famílias… Ao voltarmos para casa percebi que o fato de não ter mais os braços seria bastante complicado. Quando eu me sentava, Jane colocava o bebê em meu colo por alguns minutos.

Dois S e um T – ranking das principais doenças do trabalho

Muito espanta que trabalhadores de empresas relacionadas ao meio de prevenção de acidentes não saibam do que se trata SST. É claro que isso ocorre com funcionários que exercem funções administrativas ou comerciais. As indústrias e o chão de fábrica mantêm suas estruturas com o serviço especializado de engenharia e medicina do trabalho e conseguem semear a prevenção de saúde no ambiente laboral.