• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg
  • Santista
    Santista

O que fazer com as instalações elétricas em ambientes com risco de explosão

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Em área classificada os equipamentos elétricos e eletrônicos devem ser à prova de explosão (Foto ilustrativa Pixabay)

As substâncias inflamáveis na forma de gases, vapores, poeiras e fibras com a presença de oxigênio resultam nas chamadas atmosferas explosivas. A atmosfera é considerada explosiva quando existe o manuseio do produto inflamável. Se, no local, houver fonte de ignição ou faísca, a combustão propaga-se até chegar a ocorrer uma explosão. De uma forma geral, o parque industrial de setores petroquímicos, aterros sanitários, produção de energia elétrica, tratamento de águas residuais, empresas de distribuição de gás, indústria de transformação de madeiras, empresas de pintura, agricultura, metalurgia, indústria alimentar, indústria farmacêutica, refinarias e empresas de reciclagem, contêm as atmosferas explosivas.

Sim, essa lógica envolvendo combustível, oxigênio do ar, faísca que resulta em explosão precisa ser tratada por especialistas que entendam de ações de proteção contra o acidente. Entre os profissionais que executam o estudo de classificação de área, que aponta onde estão os riscos e quais suas dimensões dentro da planta industrial, o projeto de instalações elétricas é um tema que gera muita controvérsia. Para gerenciar esses riscos, os profissionais das áreas de elétrica, automação e instrumentação devem propor soluções capazes de eliminá-los ou, ao menos, reduzi-los. Deve-se impedir que as prováveis fontes de ignição entrem em contato com a atmosfera explosiva. E isso se faz por meio da escolha de equipamentos elétricos e eletrônicos específicos e infraestrutura à prova de explosão, de segurança intrínseca ou segurança aumentada.

A segurança intrínseca (SI) é um tratamento especial ao projeto de equipamentos instalados em locais perigosos. O objetivo é reduzir a energia disponível a um nível baixo para não causar ignição. Isso significa prevenir faíscas e manter temperaturas baixas. “Uma área com potencial explosivo precisa de uma análise detalhada para poder protegê-la”, afirma Paulo Raña, engenheiro e representante da empresa espanhola ADIX, especializada na prevenção de explosões e proteção de pessoas e ativos. Segundo ele, se os equipamentos elétricos não forem à prova de explosão, estes deverão ser instalados em caixas ou painéis à prova de explosão, com as devidas conexões, desde a entrada de cabos, com a vedação dos painéis e a tubulação que irá levar o cabeamento até o local desejado. “Todos os itens devem ser classificados e com os referidos drenos, além de massa de vedação, para proteger e impedir a entrada de qualquer gás, vapor ou poeira combustível”, ensina.
Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

Um Comentário

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.