• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Nova norma de métodos de ensaio para as poeiras combustíveis: nacional, porém nem tanto

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Antes de irem ao mercado, os grãos produzem poeiras combustíveis dentro dos silos, requerendo proteção contra explosão (Foto Pixabay)

Não basta haver normas de padrão internacional para proteger indústrias contra explosão. É preciso conhecê-las e colocá-las em prática.

A categoria de substâncias que apresentam alto grau de risco inclui as poeiras combustíveis. Há uma lista variada de produtos e substâncias entre os insumos industriais e gêneros orgânicos que, no estado de poeiras ou fibras, podem conter características inflamáveis. É, principalmente, a manipulação desses pós, durante os processos produtivos que as normas se fazem necessárias para a proteção de ambientes com atmosferas explosivas. Mas como saber o grau de inflamabilidade das poeiras? Aplicando a recente norma publicada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), especificamente a ABNT NBR ISO/IEC 80079-20-2:2018, que trata de atmosferas explosivas, parte 20-2. Esta aborda as características dos materiais e seus métodos de ensaio de poeiras combustíveis.  Esse elemento da série de normas ABNT NBR ISO/IEC 80079 descreve os métodos de ensaios e os procedimentos de consenso internacional para a identificação e características de poeiras combustíveis na forma de nuvem e de camadas, permitindo a classificação de áreas nas quais estão presentes. Esses procedimentos visam selecionar e instalar corretamente os equipamentos elétricos e mecânicos “Ex” na presença de poeiras combustíveis. Essa nova norma brasileira mantém seu conteúdo técnico, estrutura e redação, de acordo com a norma internacional ISO/IEC 80079-20-2:2016, elaborada pelo Technical Committee Equipment for Explosive Atmospheres (IEC/TC 31). Agora como instrução normativa da ABNT, resultado de trabalho de Comissão de Estudo do Subcomitê de Atmosferas Explosivas (SC-31) do Comitê Brasileiro de Eletricidade (ABNT/CB-003), que cancelou e substitui a ABNT NBR IEC 61241-2-3:2011, que tratava de aparelhagem elétrica para utilização em presença de poeira combustível parte 2, que se refere aos métodos de ensaio, e seção 3, que se refere ao método que determina a energia mínima de ignição de misturas de poeira.

Os procedimentos internacionais dessa norma visam a determinar as características das poeiras combustíveis, abordando a temperatura mínima de ignição (MIT) de uma nuvem de poeira, a temperatura mínima de ignição (MTI) de uma camada de poeira, a energia mínima de ignição (MIE) de misturas poeiras combustível com o ar e a resistividade das poeiras combustíveis. “Vale ressaltar que a norma ISO/IEC 80079-20-2 foi traduzida para se tornar uma NBR, com mudanças meramente no aspecto textual, sem, felizmente, produzir alterações de seus requisitos principais”, afirma Paulo Raña, engenheiro e representante da empresa espanhola ADIX, especializada na prevenção de explosões e proteção de pessoas e ativos.  

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

Um Comentário

  1. Carlos Alberto

    atmosferas explosivas por causa de poeiras de grãos são riscos extremamente comuns. por isso, é preciso contar com profissionais capacitados que façam análises de riscos específicas para esses locais e proponham as medidas de proteção necessárias.

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.