• Extingue
    Extingue
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Nascer: tecnologia e referência em centro de treinamento de emergência

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Mosaico novo 6-6-2016
Instalações adequadas aos treinamentos

Para quem vê catástrofes pela TV, é possível emocionar-se pela dor das vítimas. Já, na vida real e no papel de quem lida de frente com a tarefa de salvamento, que são os trabalhadores de emergência, a situação é bem outra. O bombeiro pode até ser um cara sensível, porém, o que conta na hora do resgate é saber usar, com perícia, as técnicas aprendidas durante o período de treinamentos.

Para saber salvar vidas, é preciso que os alunos tenham sido capacitados com boas aulas práticas. Não há a menor dúvida disso. Um socorrista não aprende apenas com aulas teóricas, nem pensar! Só depois que se adquire experiência, quem trabalha em resgates atua com segurança. Não quero dizer que depois que passa a ganhar ‘rodagem’ em salvamentos, o profissional não sinta emoção no futuro. Aliás, nos acidentes, cada circunstância não será nunca igual. Sim, poderá haver pelo caminho do bombeiro uma criança em perigo de morte que o faça ‘cortar o coração’. Emocionar-se, pode, o que é incabível é que o agente destacado para salvar a criança não esteja bem preparado. Aí, é o que chamo de emoção sem significado.

Mas vou explicar por que quis escrever este post. Foi quando me comovi ao conhecer o Nascer. Ora, quem hoje, no Brasil, tem coragem de dar ‘porrada’ na crise, investindo no próprio sonho? Dou nomes aos bois. O Nascer – Núcleo Avançado de Segurança, Controle de Emergência e Resgate – é um centro de treinamento de emergências, que foi aberto em outubro de 2014. Paulo Matielo é seu diretor, com 32 anos de experiência na área de segurança, saúde, meio ambiente e qualidade. Matielo abriu o centro de treinamento em plena crise. E o espaço é o que se pode dizer de dar inveja à NASA. Juro que não há exagero no que estou contando.

 Simulador com túnel aéreo que não há em lugar nenhum

FOTO Paulo Matielo (3)
Paulo Matielo, diretor do CTNascer

Em Esteio, a 10 minutos de Porto Alegre (RS), o Nascer não é um centro para treinar profissionais de emergência qualquer. Matielo projetou e, com engenheiros, construiu a infraestrutura do ambiente de cursos, que permite simulações em situações de emergência.  Não é despropósito levantar a bola do Nascer para o público deste blog, que trabalha no campo de prevenção. Estou apenas detalhando como pode ser útil à capacitação de bons profissionais para a área. Há, no centro, um simulador de túnel aéreo, “que não tem em lugar nenhum do mundo”, afirma Matielo, acrescentando que, “posso afirmar com 100 % de certeza, que nem na Nasa há um assim, pois um dos nossos instrutores trabalhou lá. Tive a ideia do centro e, ao longo do processo, fomos melhorando”, informa.

O projeto final foi executado por engenheiros, e o mais bacana foi que o Nascer foi construído, aproveitando materiais de uma torre aeólica de 24 metros. Amigo de Josely Baram, dono da Baram Equipamentos, fabricante de equipamentos para canteiros de obras, Matielo fechou a parceria para utilizar a torre, mudando sua finalidade, dividida em quatro módulos de seis metros.

Com a estrutura do centro é possível manter 70% das aulas práticas. Os alunos que assistem às aulas teóricas têm acesso imediato aos ensinamentos práticos, por meio dos simuladores. “Temos um simulador de espaço confinado que é um labirinto que gira, com seis metros de comprimento, que faz parte do treinamento de resgate avançado, simulando o salvamento em locais de difícil acesso. Assim, o aluno tem vivência prática nos principais segmentos. Projetamos um túnel que vai de uma sala de aula até o mezanino do outro lado num total de 11 metros. Por dentro do túnel, criamos condição para os exercícios de salvamento em espaço confinado, com uma altura aproximada de seis metros. Em cima do túnel, há uma plataforma. Nesse túnel, há duas possibilidades: dá para praticar os resgates em espaço confinado e o resgate em altura, porque acima dele há uma plataforma. Há ainda um telhado interno, exclusivo, que funciona como um simulador para o treinamento”, conta. No centro há local de um acesso para resgate em suspensão inerte, que é uma condição bem crítica do trabalhador que cai e fica pendurado, podendo ocorrer a síndrome da suspensão inerte, em que, em questão de 20 minutos, a pessoa que está pendurada já tem risco iminente de morte, mesmo que o cinto o tenha segurado durante a queda.

Com isso, todo o ensinamento é o mais próximo possível da realidade. Matielo diz que produz fotos dos treinamentos, mas não gosta de exibir as imagens por serem fortes, em função do caráter realístico dos treinamentos.

Muitos que fizeram o curso no Nascer são da região Sul. Alunos do interior do Estado, como Uruguaiana, que fica a mais de 600 quilômetros de Esteio, também buscam o centro, que tem recebido alunos de todo o Brasil e até do exterior.

Matielo é técnico de segurança do trabalho, gestor ambiental e cursa pós-graduação em engenharia de segurança, mas também é um instrutor que sabe mexer com o aspecto emocional dos alunos, quando transmite conhecimento.

Para Matielo, o Nascer é a concretização de um sonho, pois, como costuma falar, “o valor do conhecimento está na prática e em seu compartilhamento”. Se emergências e tragédias trazem aprendizados, que ocorrem em todos os setores, entre os quais, químico, petroquímico, automobilístico, aviação e industrial, deve-se levar ao aluno tanto o exercício prático como despertá-lo para o lado humano e solidário. O enfoque do treinamento oferecido no Nascer é fazer o aluno treinar e pensar em como se conduz o conhecimento teórico e prático que adquiriu ao longo da vida. “Às vezes, não é a falta de conhecimento, mas a forma de como esse é aplicado”, avalia.

O Nascer está equipado ainda com vestimentas e epis para emergências química, além de equipamentos de proteções autônomas, simuladores de ressuscitação cardio pulmonar, e treinamento de atendimento pré-hospitalar e dispositivo automático externo, entre outros.

Parece que do sonho de Matielo podem tornar-se realidade profissionais de resgates, capazes de salvar vidas. Partiu, às aulas práticas!

 

4 Comentários

  1. Valmira Miranda

    Emily, matéria sensacional. Sou do ramo e não conhecia o Nascer. Se você escreve, dizendo todas essas qualidades, não vou duvidar.

  2. Cláudia Plá

    Maravilha! O Nascer é um exemplo de dedicação, profissionalismo e competência. Parabéns Matielo pela iniciativa.

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.