• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Melhor trabalhar em pé ou a pé? Talvez, sentado

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Carteiros trabalham andando muitos quilômetros por dia (Foto Pixabay)

Quem é carteiro, responsável por entregar as correspondências na casa dos clientes, sabe que terá de caminhar alguns quilômetros por dia. Mas essa atividade profissional em que se anda a pé rotineiramente traz benefícios por ser aeróbica e, melhor, ajuda a emagrecer, com reflexos no controle da pressão arterial e diabetes. Contudo, o texto da norma regulamentadora 17, que trata de ergonomia, preocupa-se com as pessoas que trabalham em pé, como o vigilante, que não deve sair de seu posto.  Como também com aquelas que trabalham sentadas. Ambas as situações ergonomicamente têm vantagens e desvantagens.

E você, quer saber se é melhor trabalhar em pé ou sentado, num escritório com ar condicionado? Evidentemente, há desvantagens de se manter durante toda a jornada laboral uma postura em pé e imóvel. No caso, os membros inferiores do trabalhador ficarão predispostos à insuficiência vascular, o que pode originar varizes e sensação incômoda de peso nas pernas. Além disso, a contração muscular estática dificulta a circulação do sangue. Ou seja, é melhor ficar muito tempo andando a pé do que em pé, parado. Em pé, ocorre aquela sensação dolorosa nas articulações que suportam o peso do corpo, refletida no joelho e nos quadris. Uma forma de amenizar isso é usar um tapete anti-fadiga, dando mais conforto ao trabalhador. Por causa da tensão muscular para manter o equilíbrio, as tarefas de precisão ficam prejudicadas.

A verdade é que ficar em pé durante muito tempo cria uma situação penosa, piorada ainda se a pessoa precisar manter postura inadequada dos braços, inclinando e torcendo o tronco. A NR 17 especifica as condições e justificativas ao trabalho em pé, e delimita as tarefas que podem ser executadas dessa forma. Por exemplo, quando a função exige que o trabalhador atue em campos amplos e frequentes fazendo movimentos para cima, frente ou abaixo, a postura em pé é realmente melhor, porque permite mais flexibilidade. Já o trabalho sentado é mais benéfico porque resulta em baixa solicitação da musculatura dos membros inferiores, o que não gera a sensação de desconforto e cansaço. Também evita posições forçadas do corpo, facilitando a circulação sanguínea pelos membros inferiores. Em relação ao conforto, há vantagens. Mas também há desvantagens, como o risco de sedentarismo e a adoção de posturas desfavoráveis, que levarão às doenças osteomusculares, que tanto afastam trabalhadores.

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

2 Comentários

  1. Rosamarie Siqueira Leite

    Trabalhar em pé, sentado, deitado, voando, de cócoras, o importante é trabalhar e rezar todos os dias para permanecer saudável para continuar trabalhando.

  2. Leandro Melero

    Sem citar um postulado ergonômico específico, em geral, para postura em pé devem ser questionados:
    A postura em pé é estática ou dinâmica?
    É possível intermitência de postura sentada? Se sim, em quanto tempo?
    Qual o tipo de calçado?
    Qual o tempo em pé durante a jornada de trabalho?
    Qual o tipo de trabalho realizado com a exigência de postura ortostática?

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.