• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg
  • Santista
    Santista

Lei dos Caminhoneiros é desrespeitada, e o resultado é bem conhecido: acidentes

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Caminhoneiro precisa de descanso (Foto Pixabay)

Naturalmente, não é todo dia que há fiscalização sobre a jornada de trabalho de caminhoneiros. O problema é que quando há, os fiscais constatam irregularidades que colocam em risco tanto a integridade física dos trabalhadores, como a de passageiros. Em 2015, o governo publicou a Lei dos Caminhoneiros, com mudança na jornada de trabalho e período de descanso.

A lei instituiu o repouso diário obrigatório, também chamado de intervalo interjornada, que é de 11 horas a cada 24 horas. Essa pausa pode ser fracionada, o que, às vezes, coincide com o período de parada obrigatória. A lei foi criada porque os excessos cometidos no que diz respeito às horas de trabalho resultavam em acidentes. No mês passado, foi realizada uma operação do Grupo Especial de Fiscalização do Trabalho em Transportes (Getrac), com apoio de auditores-fiscais de Mato Grosso e da Polícia Rodoviária Federal, abordando motoristas de 32 caminhões na BR-163, em Rondonópolis (212 km de Cuiabá).

Como era de se esperar, as infrações mais comuns identificadas foram a ausência de controle de jornada e de descanso em um intervalo mínimo entre jornadas. Cerca de 15% de todas as mortes relacionadas às atividades de trabalho no País são de motoristas de caminhão, que também ocupam o segundo lugar em incapacidades permanentes. Nos últimos cinco anos, morreram 2.780 trabalhadores do transporte terrestre, e 5.400 sofreram acidentes com sequelas permanentes. Lamentavelmente, muitas empresas exigem do motorista o cumprimento de jornadas exaustivas, que são as alavancas para os acidentes. Sabe-se que o esgotamento por excesso de trabalho pode levar o motorista a ter distúrbios cardiocirculatórios, sonolência, perda da concentração e reflexos, com consequências óbvias que resultam em acidentes.

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.