• Vakinha
    Vakinha
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Inverno vai chegar e você não vai ter gripe, se souber das coisas

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

1010068-04042016-_abr0971_1
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Chegou junho, mês do início do inverno, estação mais fria do ano (em tese), pois, atualmente, o planeta Terra vem trocando as “bolas” de seus fenômenos naturais. Mas como a máxima deste blog é “o que vale é a prevenção”, vamos puxar uma conversa sobre prevenção às gripes e aos resfriados. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), com dados de 2013, elaborou um levantamento apontando que 17,8% dos brasileiros se ausentam do trabalho em função das doenças do inverno.

Este ano, o governo buscou antecipar-se à epidemia de gripe, promovendo a vacinação contra o vírus H1N1, em abril, às crianças, aos idosos, profissionais de saúde e povos indígenas. A população adulta, trabalhadora e fora desse perfil, não tem direito à imunização gratuita. Logo, para que, em 2016, os quadros de gripe no inverno não afastem tantos trabalhadores de suas funções laborais e para que unamos bem-estar dos empregados, como produtividade das empresas (tudo que a economia não precisa agora é de uma epidemia, que reduza a produção de suas riquezas), vou às dicas de prevenção.  Os sintomas de gripe são intensos, desde seu início, o que impossibilita a pessoa de sair da cama. As gripes e resfriados atingem as diversas faixas de idade, com maior ou menor virulência. A causa das doenças respiratórias é a exposição do ser humano ao vírus, no caso o Rhinovirus, que provoca o resfriado, e o Influenza (A, B e C), responsável pela gripe. Mesmo sendo tão pequenos, ninguém escapa aos vírus ‘tampinhas’ e não menos abusados.

Se o sistema imunológico do trabalhador está enfraquecido, aí é batata: gripe ou resfriado.  Ambas as afecções têm sintomas aproximados, como obstrução e secreção nasal. Se a pessoa pegar gripe, a situação de desconforto é mais intensa, pois vem acompanhada por febre alta, dores musculares e de cabeça. Os sintomas da gripe, em geral, derrubam o indivíduo a ponto de não deixá-lo sair da cama. Nesses casos, o correto é procurar um médico para receber orientação, especialmente se o paciente é portador de doenças crônicas, em que o uso de medicações antivirais não seja recomendado. Como se sabe, tratar a gripe é dar alívio aos sintomas, até o sistema imunológico defender-se do vírus.

Para concluir as recomendações, vou à prevenção de SST: higienizar as mãos com frequência, deixar o local sempre limpo e arejado evitam a transmissão do vírus da gripe ou do resfriado no ambiente de trabalho. Não é porque você pegou gripe, que seu colega também deva, né, companheiro!

 

2 Comentários

Deixe uma resposta para Vera Lucia Cancelar



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.