• Extingue
    Extingue
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Instalação de circuitos elétricos em atmosferas explosivas

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Eletricidade em atmosferas explosivas pode ser uma fonte de ignição (Foto Pixabay)

Começo o post de hoje dando uma explicação sobre atmosferas explosivas. Só então posso aprofundar o tema, dizendo o quão importante é projetar as instalações elétricas em áreas classificadas. Geralmente, um local de risco dentro de unidade industrial, seja em plataformas e refinarias de petróleo, indústrias petroquímica, farmacêutica, alcooleira ou do agronegócio, contém atmosferas explosivas. Onde há uma porção de gás, vapor, poeira ou fibra, em contato com o oxigênio, uma faísca proveniente de um equipamento elétrico pode ser fonte de ignição e provocar uma explosão. Logo, é preciso classificar o local, determinando o tipo de substância inflamável presente no ambiente. Portanto, a preocupação com o projeto de instalações elétricas deve estar presente quando se trata de atmosferas explosivas.

A seleção dos equipamentos elétricos, a instalação, bem como a inspeção e manutenção nas áreas com a presença de atmosferas explosivas são requisitos fundamentais para garantir a segurança desses locais e dos trabalhadores.

Inicialmente, a conformação das instalações elétricas em ambientes classificados deve seguir a NBR IEC 60079-14, de instalações elétricas em áreas classificadas (exceto minas) e a IEC 61241-14, de equipamentos elétricos para utilização em presença de poeira combustível, seleção e instalação.

A norma NBR IEC 60079-10 expõe os requisitos do estudo de classificação de áreas. Para regularizar a instalação elétrica em ambiente com atmosfera explosiva, os equipamentos a serem trocados precisam estar segundo os tipos de zoneamento (0,1 e 2 – gases) e (20, 21 e 22 – poeiras combustíveis). A atenção deve ser centrada na especificação, que, independentemente de informar ser à prova de explosão, deve orientar-se de acordo com as normas dos diversos tipos de proteção Ex.

“Em relação ao material elétrico Ex, deve-se ter extremo cuidado na aquisição desses equipamentos, pois devem conter o certificado de conformidade emitido pelos Organismos de Certificação de Produtos, acreditados pelo Inmetro”, explica Paulo Raña, engenheiro e representante da empresa espanhola ADIX, especializada na prevenção de explosões e proteção de pessoas e ativos.

Além disso, o cabeamento desses materiais deve ser instalado em espaço que não seja suscetível aos efeitos do calor nem a danos mecânicos, corrosão ou substâncias químicas. Porém, quando for inevitável a exposição desses sistemas a efeitos dessa natureza, devem-se instalar eletrodutos parciais, especificados previamente. O risco de danos mecânicos precisa ser reduzido por meio de cabos armados, com proteção metálica, com cobertura de alumínio sem costura, com cobertura de metal e com isolação mineral ou cabos com coberturas semirrígidas.

Segundo Raña, outro aspecto relevante é instalar circuitos elétricos intrinsecamente seguros, protegidos de campos elétricos e magnéticos externos. Manter a integridade do circuito intrinsecamente seguro deve ser prioridade do profissional envolvido com atmosferas explosivas, desde a entrada de energia de outras fontes elétricas, até quando aconteçam aberturas de circuitos, curtos-circuitos ou ligação à terra do circuito.

Afinal, manter técnica e adequadamente as instalações elétricas em áreas classificadas é, antes de tudo, proteger vidas e patrimônios.

 

Um Comentário

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.