• Vakinha
    Vakinha
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

História em quadrinhos contra a silicose

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Quadrinhos contra silicose (Foto Pixabay)

Como diz José Simão, o Brasil é lúdico! Então, que se usem os meios divertidos para convencer os empregadores sobre coisas sérias, que protejam seus empregados contra doenças ocupacionais.

Mas do que trata mesmo este post? Explico: o anexo 12 da NR 15, norma regulamentadora que versa sobre as atividades e operações insalubres, estabelece os limites de tolerância para poeiras minerais, contendo sílica cristalina. A portaria 43 do Ministério do Trabalho de 2008 determina a substituição de técnicas de corte e lixamento a seco de mármore e granitos por ferramentas que utilizam água para reduzir a produção de poeira contendo sílica. Ocorre que essas medidas propostas pelo anexo não vêm sendo cumpridas, principalmente pelas micros e pequenas empresas do setor.

É aí que o lúdico precisa entrar em ação. A Fundacentro lança, no dia 8 de novembro de 2017, uma cartilha no formato de história em quadrinhos para orientar trabalhadores e empresários do setor de mármores e granitos sobre a prevenção da silicose nos ambientes de trabalho. A silicose, doença ocupacional incurável e letal que pode ser prevenida, é causada pela inalação e acúmulo de poeira de sílica cristalina nos pulmões. A enfermidade já poderia ter sido erradicada no País se medidas de segurança tivessem sido tomadas pelas empresas do setor. A adoção do processo de produção a úmido é muito importante para a prevenção contra a doença.

Segundo o presidente do Sitimagran, sindicato da categoria de São Paulo, Aristóteles da Silva Magalhães, as empresas estão sendo muito devagar no cumprimento do anexo. Segundo ele, em São Paulo, no Espírito Santo e no Rio de Janeiro, não há sequer 40% das empresas atendendo à determinação do Ministério do Trabalho. “Em São Paulo, há uma base de 700 empresas, no entanto, no máximo 380 já trabalham usando a umidificação total”, diz. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) determina que, até 2020, o Brasil erradique a silicose, por meio de medidas de proteção, como a umidificação do processo produtivo. “Mas, da maneira que a coisa está indo a passos lentos, nem em 2030 vamos conseguir erradicar a doença”, acredita Sitimagran.

A função da cartilha é tentar educar empregadores e trabalhadores a mudarem a forma de trabalho, já que no processo a seco, a poeira penetra nos pulmões causando danos irreversíveis à saúde ao longo do tempo de exposição. Ah, a cartilha conta a saga de um personagem, o detetive Ari, para investigar o mistério de poeirópolis, uma ambiente de marmoraria precário e imaginário, que precisa ser descoberto e corrigido. A cartilha também aborda a importância do uso de equipamento de proteção individual (EPI), a adoção de pausas, bancadas adequadas e outras medidas para promover a melhoria dos ambientes de trabalho nas marmorarias.

 

 

 

 

5 Comentários

  1. Paula Rocha

    Inalar poeira contendo partículas finas de sílica livre e cristalina é muito arriscado, pois o trabalhador pode desenvolver deste a tuberculose até câncer de pulmão. A prevenção é necessária e urgente.

  2. Tatiane

    É preciso muita conscientização, pois nem os trabalhadores aceitam usar o método de umidificação do processo. A cartilha vem ao encontro dessa necessidade. Parabéns à Fundacentro

  3. Juliana Meneghetti

    Ótima a iniciativa da Fundacentro! Poderiam aproveitar a ideia dos quadrinhos pata outros setores de atividade também.

  4. Wilson Borges

    Ótima iniciativa, os números nos mostra o quanto é necessário ações desse tipo, para conter é tipo de DO que já poderia ter erradicado

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.