• Vakinha
    Vakinha
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Escoramento com segurança

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Segurança em todas as etapas (Foto Pixabay)

Na construção civil, setor que reconhecidamente é causador de muitos acidentes, seguir normas e procedimentos faz toda a diferença. Uma atividade que está sempre presente em um canteiro de obra é o escoramento e fixação das fôrmas para a execução do concreto armado. Também conhecido como cimbramento, o escoramento pode ser executado com estrutura de madeira ou tubo de ferro, para dar sustentação às lajes, vigas e pilares.

Se há um instrumento que ‘segura as pontas’ dentro do canteiro é o cimbramento. São esses suportes que dão aquela força, segurando as fôrmas até o concreto secar. E ainda garante a circulação dos operários sem correr o risco de todo o trabalho vir abaixo. Existem diversos tipos de escoras: há o escoramento para empurrar as fôrmas das vigas e impedir a dilatação ou deformação na hora da concretagem e há aquele que suporta o peso da estrutura, o sobe e desce de equipamentos, tanto de trabalhadores como de material.

Quando se pensa em segurança do cimbramento, o primeiro passo é seu cálculo prévio executado por profissional habilitado, que vai determinar a fôrma, o material, a quantidade e o posicionamento das escoras. Mas, atenção, o cuidado começa na base, ficando de olho nos recalques, além da diferença de altura, que podem condenar de vez o escoramento. As escoras tubulares são as preferidas da turma da construção, pois são resistentes e aguentam o tranco, pesam pouco e duram bastante. Estas podem até ser utilizadas várias vezes e de diferentes maneiras, gerando economia.

Mas, as conexões bem fixas e montantes sem ferrugens ou amassados são regras importantes na hora da reutilização. As escoras de madeira também funcionam bem, mas são mais pesadas, difíceis de alinhar e emendar e, pior, pegam fogo com facilidade. Às vezes, é uma verdadeira loteria saber se esse escoramento vai aguentar o peso do concreto. Então, por que colocar a obra em risco, né? Agora, se for a única opção, veja se a madeira tem certificação ambiental, e se for usá-la mais de uma vez, descarte as peças com fendas ou rachaduras. Não dá para brincar na hora de escolher o material para as escoras.

Então, anote aí: em estrutura de concreto, ao usar perfil da mesma altura, mas de peso diferente, considere o mais leve nos cálculos. Durante a concretagem, veja como o escoramento se comporta, sempre consultando o projetista sobre qualquer imprevisto. Para remover o cimbramento com segurança, quem sai primeiro são as cunhas de madeiras, e devagarinho o vão vai aumentado. Nessa hora, a pressa é mesmo inimiga da perfeição, não adianta tirar a escora antes de o concreto secar. Com o cimbramento é assim, bobeou, comprometeu toda a obra. Por isso, na hora da concretagem é bom ter alguém qualificado por perto. Seguindo o passo a passo, todos ficam protegidos.

 

 

4 Comentários

  1. Fernando Almeida

    essa atividade dentro da construção civil é essencial, mas também muito ariscada, o que envolve o atendimento rigoroso aos procedimentos. post relevante

  2. Melero Channel

    Todos profissionais de segurança do trabalho, assim como eu, deveriam cadastrar esse blog na barra de favoritos do computador!

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.