• Extingue
    Extingue
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Dois S e um T – ranking das principais doenças do trabalho

Muito espanta que trabalhadores de empresas relacionadas ao meio de prevenção de acidentes não saibam do que se trata SST. É claro que isso ocorre com funcionários que exercem funções administrativas ou comerciais. As indústrias e o chão de fábrica mantêm suas estruturas com o serviço especializado de engenharia e medicina do trabalho e conseguem semear a prevenção de saúde no ambiente laboral. Essa é a responsabilidade do serviço. Mas os dois S e um T, de saúde e segurança do trabalho, não formam mesmo um termo popular. Mais difícil ainda se fosse para tornar o termo HSE conhecido. Nas multinacionais, HSE é como se conhece o setor de saúde, meio ambiente e segurança (health, environment and safety).

No diversificado mercado de atividades econômicas, a cultura de prevenção ainda é um degrau a ser conquistado. Com as apurações jornalísticas em SST, tenho constatado esta verdade. Se não entendem o que é SST, as pessoas precisam saber que as doenças ocupacionais existem e conhecer o ranking das mais incidentes. Aquelas que mais acometem quem labuta no Brasil. Fala-se muito dos acidentes de trabalho, e as doenças, muitas vezes, ficam esquecidas, sendo sentidas por aqueles que as têm.

Entre as doenças de trabalho mais comuns no país figuram-se as lesões por esforços repetitivos (as LER/DORT), a surdez profissional (PAIR), as doenças pulmonares ocupacionais, as doenças de pele (dermatoses ocupacionais), as intoxicações pelo benzeno, por metais pesados ou por agrotóxicos, e o câncer ocupacional.

Segundo Maria Meano, médica e pesquisadora da Fundacentro, autarquia do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o quadro das doenças mais frequentes não tem mudado ao longo dos anos. Ela diz, porém, que para conhecer o real ranking dos adoecimentos do trabalho, deve-se conhecer a fonte de pesquisa. Quem pegar as informações do Ministério da Previdência Social (MPS) vai ver que as doenças mais registradas são as que mais geram benefícios de auxílio-doença. E nem toda doença do trabalho é passível de receber o benefício. Logo, ela não é notificada porque o trabalhador não vai poder receber o benefício.

Perda auditiva causada por ruído, por exemplo, embora seja extremamente frequente, principalmente entre os trabalhadores de indústrias e comércio, na lista da Previdência Social não é incidente porque não gera benefício. A médica lembra também que atualmente existe alta incidência de doenças hipertensivas do trabalho, mas que não geram afastamento nem notificação.

Em 2013, segundo dados do MPS (os de 2014 ainda não foram divulgados), a dorsalgia (dor nas costas) ocupou o topo da lista com 2.577.291 casos no Brasil dos auxílios-doença concedidos, previdenciários (B31) e acidentários (B91), segundo as 20 maiores ocorrências. O benefício é pago obviamente se a doença gerar afastamento médico. Já o “Episódio Depressivo”, conforme especifica a lista do MPS, ocupou o oitavo lugar, com 61.044 casos. Ainda na classificação do MPS, “Outros Transtornos Ansiosos” registraram 31.679 casos.

Maena confirma que as doenças psíquicas entre os trabalhadores têm aumentado e costumam ser graves. Explica que, até ser notificada, passa por várias etapas. Primeiro, há indícios de adoecimento para depois a doença ser diagnosticada. Por isso deve-se prevenir a incapacidade temporária e, principalmente, prevenir que o trabalhador seja afetado permanentemente.

As doenças do trabalho podem ocorrer na população em geral, mas surgem com muito mais frequência em determinados tipos de setores e atividade profissional. Para a médica, hoje a doença ocupacional registrada no Brasil tem causas num sistema de mercado profissional centrado em resultados e metas rigorosas, expondo alguns trabalhadores mais suscetíveis às patologias. Para mudar esse quadro, segundo a médica, as políticas públicas ainda têm sido insuficientes.

Por Emily Sobral

 

 

9 Comentários

  1. Dulce

    Parabens, gostei,
    Que seja um novo marco na sua vida profissional. Que os profissionais da área entendam que
    este é o melhor meio de comunicação da atualidade

    ABs

  2. Susana Hidas

    Há mesmo um longo caminho a percorrer para garantirmos saúde e segurança no trabalho no Brasil. Espero que este blog ajude a conscientizar empregados e empregadores sobre a importância disso.

  3. Sueli dos Santos

    Informação. esse é o caminho. eu acredito que a boa informação pode transformar as pessoas. sucesso na nova iniciativa!!

  4. Diego Belzunces Pedrosa

    A informação é a base da formação, creio que com informações como essas,claras,objetivas o
    blog esta contribuindo para elevar o nivel de conscientização das pessoas de que prevenção
    é a melhor solução.
    Parabens !!

  5. Sandra Hitomi Yamafuku

    Não somente para os profissionais ou empresas ligadas a área de segurança , mas também para a maioria da população que é leiga no que se refere ao SST, o surgimento deste blog será de suma importância e bastante esclarecedor. Afinal, independente da ocupação, todos estão sujeitos a, direta ou indiretamente, sofrer algum tipo de acidente, doença orgânica e psicológica devido ao trabalho. Com maiores informações, e consequente conscientização, pode-se prevenir. Abraços.

  6. Maria do Carmo Espinheira

    A prevenção é o caminho para evitarmos problemas maiores e esta se encontra na informação. Parabéns por idealizar e executar tão bem esse trabalho aqui!

  7. pedro leal

    Sim perfeito esse veiculo de comunicação / informação podemos fazer muito quando se quer .. estamos num pais onde somente as grandes corporações são vistas / ouvidas ..mas muitas com apelos comerciais e de lavagem cerebral .. prevenção cabe em qualquer segmento e local deste pais …parabens

    Pedro Leal
    Tec Segurança

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.