• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Demissão por justa causa: evite o cartão vermelho

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Empregado que ‘pisa na bola’ pode ser demitido por justa causa

Em período de Copa do Mundo basta fazer uma analogia com o futebol que tudo fica fácil de explicar. Então, vamos lá esclarecer. Nesse esporte, quando um jogador comete falta grave, é punido com cartão vermelho e expulso da partida. Assim, no ambiente laboral, o cenário é similar. Todo profissional precisa ficar atento a comportamentos que podem comprometer sua presença em campo, ou melhor, no emprego. Sim, porque o empregado tem direitos, mas também tem deveres, naturalmente.

Mas, afinal, quais são as faltas consideradas graves que podem ensejar até uma demissão por justa causa? Para entender quando o contrato de trabalho pode ser rescindido é preciso conhecer os termos do artigo 482 da Consolidação das Leis de Trabalho (CLT). Lá, estão listadas as situações que podem desencadear o encerramento do vínculo empregatício, com o trabalhador sendo dispensado sem direito a receber as multas rescisórias. O artigo deixa claro que o desleixo no desempenho das funções, ou seja, agir com negligência no desenvolvimento das atividades é motivo de dispensa por justa causa. Na maioria das vezes, a desídia consiste na repetição de pequenas faltas leves que vão se acumulando até que o empregado seja demitido. Além disso, a CLT também cita como falta grave a prática constante de jogos de azar. Como é que é? Brincar com a sorte nas instalações do emprego? Outro motivo que pode possibilitar a dispensa por justa causa é a embriaguez habitual ou em serviço. O empregado que ingerir bebida alcoólica durante o expediente ou comparecer ao local de trabalho embriagado, vai receber o cartão vermelho.

Por fim, o artigo 482 ainda estabelece que a justa causa seja aplicada caso o empregado viole algum segredo da empresa. Então, mantenha o profissionalismo e não repasse as diretrizes, o modo de trabalho e normas internas relativas à empresa para terceiros. Bom, se no futebol o atleta pode ficar impedido de duas partidas seguintes por cometer falta grave, no mercado de trabalho o período pode ser bem maior. Com o ‘cartão vermelho’ no currículo, o trabalhador pode não conseguir uma nova oportunidade de emprego tão facilmente. Por isso, o profissional deve manter uma boa relação com o empregador sendo disciplinado e evitando desempenhar atos que possam ensejar a rescisão de seu contrato de trabalho.

 Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

Um Comentário

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.