• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg
  • Santista
    Santista

Cuidados com a inalação dos pelos. Em pet shops e clínicas veterinárias, os riscos são bem mais que isso

pet shop

Pet shop virou mania no universo do empreendedorismo. As razões são muitas, pois a falta de emprego formal e o amor hiperbólico aos bichinhos geraram o mercado. E não se iludam, os riscos ocupacionais dos pet shops e clínicas veterinárias existem e precisam de prevenção. As normas regulamentadoras existentes utilizadas nos serviços de saúde humana podem pautar os procedimentos de segurança e higiene no setor animal. Mas, nesse setor, não há instrumento específico que proteja o médico veterinário, por exemplo. São as NR1, NR6, NR7 e NR9 que guiam as ações de prevenção a esses trabalhadores. Nesses locais, o papel da vigilância sanitária é essencial. Deve-se lembrar a obrigatoriedade da imunização dos funcionários dos estabelecimentos, com vacinação contra tétano, hepatite e raiva. Também é preciso gerenciar resíduos de saúde, prazo de validade e armazenagem correta de produtos, tipos de revestimentos e pisos e as formas de higienização, uso de EPIs, além de laudos de controle radiológico, conservação e manutenção do prédio. Os riscos à saúde não estão restritos à inalação de pelos. A presença de secreções contaminadas, como fezes, urina, sangue e saliva, é maior em clínicas veterinárias do que em pet shops. Os serviços de banho e tosa oferecem risco físico de ruído e vibração prejudiciais ao ser humano. Em clínicas, há a utilização de produtos antineoplásicos e anestésicos que possuem propriedades nocivas à saúde do ser humano. Os riscos físicos, químicos, biológicos, acidentais ou mecânicos e ergonômicos estão presentes nos diversos tipos de estabelecimentos veterinários. Uma das vias de contaminação de agentes infecciosos pode ser a oral. Nesses locais, a precaução deve ser constante. Há ainda os riscos com os materiais, como agulhas, lâminas e tesouras. O empregado do setor deve munir-se de ferramentas que o proteja, com EPIs e comportamento preventivo. Resumindo: o funcionário deve gostar de si como os donos gostam de seus pets.

Por Emily Sobral

6 Comentários

  1. Diego Belzunces Pedrosa

    Dependendo do estado de saúde das pessoas que tem seu bichinho de estimação
    eles tambem podem tornar-se um grande risco (consulte seu médico)

  2. OSVALDO

    Realmente os riscos químicos e biológicos são os mais acentuados , cabe ressaltar que muitas vezes a contaminação ocorre até por uma luva que se rasga durante os procedimentos ,por isso os med veterinários e seus auxiliares devem receber adicional de insalubridade e podem pleitear aposentadoria especial ,nos moldes do decreto 3048/99.
    Eng Segurança Osvaldo villas boas.
    Perito

  3. MICHELE GONÇALVES

    Trabalho como auxiliar de serviços gerais. Tenho contato com animais doente e limpo sala de cirurgia, tenho direito a insalubridade?

  4. ALINE FRANCIELE

    estou fazendo um trabalho na minha escola gostaria de saber quias tipos de acidentes de trabalho existe em uma clinica veterinaria para abrir o CAT

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.