• Extingue
    Extingue
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Controle dos riscos das radiações ionizantes

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Raios ionizantes: perigo e controle (Foto Pixabay)

Entre os assuntos relacionados à segurança ocupacional, há um que merece ser explicado corretamente, pois existe certa mistificação: a radiação. Explico porquê: o mal causado pela radiação não deriva apenas de usinas nucleares. O exame de raio x, ao qual praticamente toda pessoa um dia já teve que se submeter, pode causar danos ao organismo. Agora, um operador de raio x que, ao longo de sua vivência profissional, não fizer uso de proteção, poderá sofrer consequências futuras, contraindo doenças graves, como o câncer, em função do efeito cumulativo.

A radiação que traz risco à saúde humana provém dos raios ionizantes, que são de alta frequência. A radiação ionizante tem capacidade de ionizar átomos e danificar as células do corpo humano. Portanto, para a gestão de segurança de trabalhadores expostos aos raios ionizantes, a norma N.N 3.01 oferece as diretrizes de proteção estabelecidas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN).

A norma estipula que pessoas podem suportar até um limite de 20 mSv (unidade para medir o impacto da radiação sobre o corpo humano) de radiação por ano. A Comissão recomenda que não se ultrapasse o limite de 50 mSv em um único ano. A CNEN determina ainda que as empresas façam o monitoramento das equipes de operadores expostas à radiação, por meio de dispositivos para detecção e medição de raios ionizantes. E, agora, fiquem certos que a radiação não está presente apenas em bombas atômicas.

Um Comentário

  1. Romulo Peres

    Muito bem lembrado, Emily! Grandes doses de radiação ionizante podem causar mutações celulares, provocando vários tipos de câncer.

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.