• Extingue
    Extingue
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Como proteger a coluna vertebral dos trabalhadores de banho e tosa

Volto a escrever sobre os pet shops e os riscos aos quais estão expostos os funcionários dos estabelecimentos de higiene animal. Agora, vou evidenciar a questão do risco ergonômico. Quem trabalha com banho e tosa costuma ter lombalgias, lesões da coluna, tendinites (LER – DORT) e fatiga.

Segundo o engenheiro de segurança e ergonomista Osny Telles Orselli, nesse setor as patologias osteomusculares são previsíveis e podem ser anuladas com medidas relativamente simples. Para ele, há muitos pontos na prevenção de lesões de coluna que devem ser observados. Por exemplo, a consciência do fato, que busca eliminar a negligência das pessoas com o seu próprio corpo. “É preciso ter compreensão dos efeitos danosos da postura incorreta e da mecânica do corpo em relação à coluna”, explica. O projeto ergonômico do local do trabalho deve ser realidade nos ambientes laborais, pois propicia uma análise do ambiente para modificá-lo, se necessário, e dos equipamentos para manter as condições de segurança e eficiência no desempenho do trabalho.

A prevenção se faz ainda pelo uso de técnicas de posicionamento da coluna. Não se deve jamais trabalhar com a coluna arqueada ou com a parte superior do corpo sem apoio (por exemplo, curvado a partir da cintura). Ao executar algum trabalho em pontos mais baixos, deve-se ajoelhar-se para manter a coluna em uma posição neutra. A coluna vertebral é constituída de 24 ossos denominados de vértebras e forma uma curva em formato de S quando vista de perfil. Essa curva representa a posição neutra, de resistência máxima, que depende da força dos músculos dorsais e abdominais. Ao trabalhar, o melhor é posicionar os objetos na altura da cintura. Assim, evita-se dobrar o corpo na cintura. Por meio de técnicas de correção de postura, é possível prevenir lesões na coluna. Por exemplo, evitar flexionar a espinha, para não aumentar a pressão dos discos e forçar o fluído interno da coluna contra a parede posterior e mais fina dos discos. Para corrigir o aumento da pressão contra os discos, são indicados exercícios periódicos de alongamento dorsal. Desse modo, o fluído interno da coluna será movimentado para frente, contra a parede dianteira e mais espessa do disco, melhorando o intercâmbio de fluído e sua nutrição. Sempre que possível, o trabalhador deve buscar aliviar a pressão sobre os discos vertebrais, transferindo o peso da parte superior do corpo para os braços ou apoiar sobre um suporte enquanto usa as mãos. E, o mais importante, movimentar a área lombar para alimentar os discos da coluna. Deve-se buscar a estabilização lombar durante o levantamento e o manuseio de materiais, como o caso dos animais nos pet shops. Osny cita o kit Ergopet, que foi idealizado por ele, após várias pesquisas e trabalhos em clínicas veterinárias. Esse kit foi desenvolvido para proteção do trabalhador de banho e tosa para proteção aos riscos físicos, biológicos, químicos e, principalmente, ergonômicos.

Por Emily Sobral

Um Comentário

  1. Katarina Saldiva

    Acho que o maior problema é que os pet shops são empresas pequenas que não podem investir em EPI, especialmente como esse Ergopet. Você, Emily, continua informando da forma mais profissional que já vi dentro do setor. parabéns.

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.