• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Boa notícia: indústrias de cimento vão reduzir o peso dos sacos do produto

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Nenhum trabalhador merece carregar peso de 50 kg. (Foto Pixabay)
Redução no peso do saco de cimento é vitória da prevenção. (Foto: site da indústria Votorantim)

Vamos combinar que as notícias divulgadas diariamente desanimam qualquer cidadão, especialmente os que ainda acreditam em Papai Noel. Mas, felizmente, também há situações que mostram o contrário.

Na área de prevenção contra doenças e acidentes do trabalho, faço o devido alarde a um fato ocorrido esta semana, em São Paulo, que passou despercebido pelas pessoas: o Ministério Público do Trabalho e 33 fabricantes de cimento assinaram um termo de compromisso para reduzir pela metade o peso do saco do produto produzido e comercializado no País. Pelo acordo, a embalagem do cimento atual tem de passar de 50 kg para 25 kg até 31 de dezembro deste ano. O objetivo é reduzir as doenças osteomusculares dos operários que carregam os sacos nas costas durante suas jornadas de trabalho.

Ora, se 33 indústrias produtoras de cimento propõem-se, a pedido do poder público, a mudar o empacotamento dessa mercadoria, em benefício do trabalhador, é algo que se deve festejar, não é mesmo? Segundo levantamento da Fundacentro, em 2006, as doenças que mais foram registradas eram a dorsalgia, lesões de ombro, sinovite e tenossinovite, outras entesopatias e mononeuropatias representando 56,28% das doenças ocupacionais com Comunicação de Acidente do Trabalho (CAT), pois não havia informação do sinistro sem CAT.

Nos 10 anos seguintes, ocorreu variação das taxas que indicaram diminuição dos casos das chamadas Lesões por Esforços Repetitivos / Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (LER/Dorts). Mas, mesmo em 2018, a predominância dessas patologias entre os trabalhadores ainda, principalmente da construção civil, continua sendo bastante significativa. Assim, vamos dar graças aos empresários de boa vontade, porque ainda há salvação neste mundo.

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

2 Comentários

  1. Gael Lima

    Boa notícia mesmo. A luta de quem trabalha com segurança ocupacional é fazer com que as empresas façam a parte delas.

  2. Mércia Mourão

    A notícia é boa mesmo. Tão boa, que dá até para desconfiar que há algum interesse patronal por trás disso…

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.