• Vakinha
    Vakinha
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Barulho do Carnaval é escolha do folião, já no ambiente de trabalho, não

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Desfile da escola de samba causa muito barulho. No ambiente laboral é preciso controlar os ruídos excessivos (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Há bem pouco, os foliões estiveram expostos a potentes barulhos gerados pelo Carnaval. Folia que é folia precisa ter sons do batuque, tambores e cuícas para acionar o samba no pé das pessoas que adoram a festa mais popular do Brasil. Mas, o Carnaval já foi, e agora esperamos que o País possa andar para frente, não é mesmo? Enquanto a barulheira do Carnaval contentou os ouvidos de quem brincou por opção, no mundo do trabalho, o ruído excessivo proveniente de máquinas ensurdece e adoece muitos empregados. O ruído no trabalho é um dos grandes problemas ocupacionais no Brasil e no mundo. A perda auditiva induzida por ruído (conhecida como PAIR) acontece quando a pessoa se expõe por muito tempo a altos níveis de pressão sonora. Normalmente, ela começa a perder, primeiramente, as frequências mais agudas. Quem trabalha nas áreas de construção civil, em indústrias ou no trânsito costuma estar mais sujeito a esse tipo de problema. Se não se fizer nada, essa perda se aprofunda e começa, então, a atingir as frequências ditas sociais, ou seja, as conversas, dos sons do dia a dia e da natureza. Com o tempo, esse déficit vai gerando problemas, inclusive na musculatura, porque as pessoas tencionam o corpo quando ficam expostas ao barulho.

Afinal, as vibrações e os sons agudos incomodam. Além do aumento do tônus muscular, a perda auditiva pode causar dificuldade de concentração, alterações do sono e perda na capacidade produtiva.  O ruído pode causar ainda a aceleração da frequência cardíaca e respiratória, alteração da pressão arterial, dilatação da pupila e estresse. Portanto, a perda auditiva provocada por ruído é um problema muito sério. Para prevenir, as empresas precisam detectar o grau do ruído e se este é passível de causar perda auditiva nos trabalhadores.

Entre as medidas de proteção contra a PAIR, deve-se acabar com a fonte do ruído, atenuá-la e, na impossibilidade de diminuir aquela fração, o trabalhador deve usar sistematicamente os protetores auriculares. Pois é, quem gosta de barulho do Carnaval da avenida pode ficar surdo, pois como diz o ditado: o que é de gosto regala a vida. Já no ambiente laboral, é obrigação dos empregadores pouparem os ouvidos dos empregados. A saúde também começa pelos tímpanos…

 

Um Comentário

  1. Lucas Filho

    Os setores de segurança do trabalho das empresas têm dificuldades de controlar os ruídos excessivos que causam surdez aos trabalhadores. Essa é a real.

Deixe uma resposta



This blog is kept spam free by WP-SpamFree.