• Extingue
    Extingue
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg

Quando a Segurança do Trabalho acontece de verdade

Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Hoje, sexta-feira, continuo achando um excelente dia para tirar folga. Até porque, quem me substitui é Adriano Abner, especialista em Gestão de Negócios, em Marketing e Comunicação, e mestrando em Comunicação Corporativa pela Universidad Europea del Atlántico, além ter passado a dedicar-se a pesquisas sobre o Comportamento Humano. Assim, o texto de Abner vem ao encontro das questões de saúde e segurança do trabalho, que trata este blog.  Queridos leitores, o texto do Abner aborda o resultado do investimento no bem-estar físico e mental dos trabalhadores, “afinal, mente saudável, corpo saudável, e claro, melhor resultado de trabalho”.

Por Adriano Abner

Bem-estar e qualidade de vida aos funcionários compõem a segurança do trabalho (Foto Pixabay)

Falar de Segurança do Trabalho é ir além de reduzir o número de acidentes, como já foi por muito tempo. É assegurar bem-estar e qualidade de vida aos funcionários, para obter benefícios não apenas físicos, como também mentais.

Se cada vez mais falamos que os profissionais são contratados pelas suas habilidades cognitivas, é preciso assegurar o bem-estar destas mentes, afinal, mente saudável, corpo saudável, e claro, melhor resultado de trabalho.

No entanto, existe um desafio dentro das empresas em fortalecer o tema entre os funcionários: fazer com que a preocupação com a segurança seja incorporada à cultura da empresa e rotina de cada funcionário.

Para potencializar os benefícios da Segurança do Trabalho, é preciso conscientizar a execução de ações em conjunto entre o trabalhador e a empresa. Assim, a segurança  fortalece-se, e consequentemente os resultados esperados acontecem.

Com algumas pequenas ações, que podem acontecer em qualquer momento e espaço do ambiente de trabalho, já é possível implementar a Segurança do Trabalho individualizada. A adição do simples hábito de fazer pausas, ou mudar de postura no trabalho, por exemplo, surte efeitos no bem estar e na produtividade do profissional. Se a cada hora que o trabalhador passa sentado, ele realizar uma atividade em pé por 15 minutos, já adiciona mais alguns anos de vida na sua história, além de benefícios imediatos em sua saúde mental.

O melhor deste método é o resultado saudável que ele proporciona no corpo e mente do trabalhador que o pratica pequenos e fáceis novos hábitos enquanto trabalha.

O método comprova cientificamente a melhoria nos sistemas cardiovasculares, motores, prevenções de doenças como diabetes, artrose, atrite, trombose etc. Além dos imensuráveis impactos na atenção, concentração, raciocínio, criatividade dentre outros benefícios cognitivos.

Existe maneira certa de se beber água, assegurando o seu bem-estar e ainda ajudando seus companheiros de trabalho: estipule quem será o seu parceiro de água, por exemplo. Quando um lembrar que precisa se hidratar, lembre o outro, traga água para ele. Você pode não acreditar, mas esta ação é uma ação de segurança do trabalho também.

Existe método para tomar decisões e assim ser mais produtivo e gerar melhores resultados para a empresa. Não acorde tomando muitas decisões, deixe-as para o ambiente de trabalho, pois o  nosso cérebro tem um banco de decisões a serem tomadas por dia, quanto mais você decide, mais a qualidade das suas decisões é impactada.

Como você acorda e como você vai dormir tem intenso impacto na trajetória da sua vida pessoal e profissional. Porém, é preciso se atentar a estes pontos e assim garantir uma vida segura principalmente no seu trabalho.

A mudança na cultura de segurança de uma empresa começa com o reconhecimento do funcionário como indivíduo. Para que ele valorize e preserve a própria vida de forma contínua, inclusive no ambiente de trabalho e não somente nele.

CLIQUE NO PLAY DO THUMBNAIL ABAIXO E OUÇA O PRIMEIRO EPISÓDIO DA # 3 SÉRIE DE SEGURANÇA DOS PÉS

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

CIPA vai mudar, e você pode ajudar a melhorar o texto dessa NR

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral6

O processo de revisão das normas regulamentadoras está causando verdadeiro mimimi entre trabalhadores ligados aos sindicatos e profissionais de segurança do trabalho. Muitos acham necessárias as revisões, outros consideram que os empregados ficarão expostos aos riscos ocupacionais, sem proteção.

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA),

NR 1 alterada e com mais objetividade

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral6

Vou começar pelo começo, falando das mudanças da Norma Regulamentadora 1, que determina que as normas regulamentadoras, relativas à segurança e medicina do trabalho, tornam-se obrigatórias para todas as empresas privadas e públicas, além dos órgãos públicos da administração direta e indireta, desde que possuam empregados regidos de acordo com a CLT.

Namorado de Fátima Bernardes está preocupado com as mudanças das normas regulamentadoras

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral6

Vou repercutir a audiência pública realizada na semana passada na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público na Câmara dos Deputados, para discutir o processo de revisão das normas regulamentadoras de saúde e segurança de trabalho.

A iniciativa do debate foi do namorado de Fátima Bernardes,

DDS funciona porque diminui os riscos de acidentes

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral6

Em muitos DDS (Diálogo Diário de Segurança), ferramenta de gestão em segurança do trabalho, geralmente conduzidos por técnicos de segurança, são apontadas as ocorrências que poderiam ter sido evitadas. Por exemplo, o uso de ferramentas com defeito, demonstrando que os trabalhadores não estão sabendo discernir quanto aos riscos de um equipamento inadequado.

Proteção respiratória: não se trata de querer, é obrigação oferecer ao trabalhador exposto às partículas nocivas

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral6

Além de divulgar informações básicas sobre a legislação brasileira sobre equipamentos de proteção individual (EPI), os riscos respiratórios e critérios técnicos para seleção de um equipamento devem constar dos treinamentos em ambientes insalubres. As atividades ligadas ao minério, madeireiras e silos com poeiras de grãos,

Antes botina, hoje, calçado de segurança

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Já estou agendando uma gravação, juntamente com Dorothea Piratininga e Eduardo Elias, para uma nova série do Prevenir Sempre Pod. Desta vez, conversaremos sobre os calçados de segurança. Mas antes do podcast, quero abordar alguns aspectos sobre o tema aqui neste blog.

Ora,

Como será a nova NR 17?

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

O governo já começou a fazer as mudanças nas normas regulamentadoras de segurança do trabalho, que muitos chamam de retrocesso. Melhorar a redação das NRs e simplificar procedimentos é retrocesso? Só na cabeça de quem pensa apenas em seus próprios interesses, típico de grupos políticos inescrupulosos e que afundaram o País,

Campanha que dá uma mão contra acidentes de trabalho

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Há análises de riscos, programas de prevenção de doenças e acidentes de trabalho, equipamentos de proteção coletiva e individual, entre outras medidas de gestão de SST aplicáveis às mais atividades laborais. Mas há campanhas simples também que são muito eficazes, e a isso dedico este post.

Áreas classificadas? Risco de explosão? Sem conhecimento, não há solução

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Quem me segue neste blog sabe que a categoria de áreas classificadas tem muita importância aqui. Indústrias ou ambientes com processos passíveis de gerar atmosferas explosivas precisam ser ‘classificadas’ para prevenir contra esses riscos de tragédias.  Classificar uma área dentro da indústria significa elaborar um mapa de categoria que especifica,