• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg
  • Santista
    Santista

Uberlândia reduz acidentes de trabalho: ó só que trem bão

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Vista de Uberlândia, MG (foto Portal da Prefeitura de Uberlândia)

Bão pá daná é a notícia que vem lá de Uberlândia, das Minas Gerais: nos últimos 5 anos, os números de afastamentos previdenciários devido a acidentes de trabalho vêm diminuindo.

Entre 2012 e 2017, os casos caíram 40%, e de 2016 para 2017, a redução foi de 4%. Neste último ano, os gastos previdenciários com afastamentos por acidentes e doenças do trabalho foram de R$ 5,350 milhões, segundo dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho. Desde 2012, as despesas com afastamento passaram de R$ 63,5 milhões, com a perda de mais de 1,4 milhões de dias de trabalho só em Uberlândia.

Segundo Paulo Veloso, procurador do Ministério Público do Trabalho, o MPT, juntamente com o Ministério do Trabalho, tem intensificado as ações para a melhoria das condições de trabalho em Uberlândia, com a execução de Termos de Ajuste de Conduta (TAC) ou por meio de ações civis públicas, que consiste, por exemplo, em fazer com que o empregador forneça equipamentos de proteção individual, tome medidas de proteção coletiva e cumpra as normas regulamentadoras. Logicamente, a redução gradativa de sinistros é algo a se comemorar. Entretanto, lendo as estatísticas friamente, o número de acidentes ainda é alto. Além dos registros, há subnotificação dos casos. Não se deve tolerar nenhum acidente de trabalho, pois todos geram algum tipo de incapacidade ao trabalhador ou até mesmo sua morte. Mas, claro, a redução dos casos é um avanço, sempre.

Em Uberlândia, o maior número de acidentes do trabalho envolveu empregados de frigoríficos, que abatem suínos, aves e outros pequenos animais, correspondendo a 14% dos casos. Em seguida, as ocorrências ficaram concentradas em atividades de serviços hospitalares, com 10% do registro total. Por causa do tipo de economia da cidade, as empresas que processam proteína animal se sobressaem nos sinistros. Entre as lesões mais frequentes que causam o afastamento previdenciário por acidente de trabalho, em Uberlândia, a fratura de punho está em primeiro lugar, com quase 13% dos casos nos últimos 5 anos.

De todo modo, a redução de acidentes de trabalho já é uma boa notícia. Né mermu?

 

2 Comentários

  1. Reginaldo César Loureiro

    A notícia é boa, se os números não estiverem maquiados. Não dá para confiar muito nas ações do Ministério Público do Trabalho, dá?

Deixe uma resposta

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.