• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg
  • Santista
    Santista

Trabalhador, diga não à hipertensão!

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Controle sua hipertensão (Foto Pixabay)

O dia de trabalho foi estressante, pois seu chefe o espremeu como um limão para fazer suco? Cuidado, então, com a pressão arterial!

De acordo com dados da Previdência Social, de 2013 a 2017, houve 67.111 afastamentos de trabalhadores por hipertensão no Brasil. Conhecida como pressão alta, a doença é silenciosa e atinge mais de 30 milhões de brasileiros. A patologia está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo. A pressão arterial é considerada normal quando está entre 12X8. Já para ser considerada alta, os valores precisam ser iguais ou maiores que 14X9.

Segundo a cardiologista Sabrina Nominato, a hipertensão é uma doença crônica, associada tanto à carga genética como a vários fatores de risco, como obesidade, tabagismo, má alimentação, falta de atividade física, alto consumo de álcool e drogas. “As pessoas que têm histórico familiar de hipertensão têm que ficar mais atentas ao desenvolvimento próprio da doença”, explica. Além de ser uma doença séria se não for controlada, pois pode gerar ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e problemas nos rins, a hipertensão pode afetar o trabalho. “Se um motorista de ônibus, por exemplo, tiver um pico de pressão durante sua atividade que o leve a lesar um órgão, ele pode ter um AVC, e provocar um acidente no trânsito. Por isso, a doença tem que ser levada muito seriamente pelos pacientes”, afirma. Ela lembra que hoje a hipertensão e suas complicações são as que mais matam no Brasil.

Felizmente, há tratamento para a pressão alta. Em alguns casos, basta a mudança do estilo de vida para controlar a pressão, em outros, é necessário o uso de medicamentos de uso contínuo, os chamados anti-hipertensivos. “Alguns pacientes podem iniciar o tratamento sem medidas farmacológicas, apenas com orientação dietética, indicada pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, para perder peso, parar de fumar, fazer atividade física regular (150 minutos por semana), redução da ingestão de álcool e sal (no máximo, dois gramas por dia)”, recomenda.

A prevenção e a atenção aos sintomas como dores de cabeça e aumento de ida ao banheiro para fazer xixi, principalmente durante a noite, são a base para não se morrer de doenças cardiovasculares, provocadas pela hipertensão.

 

 

3 Comentários

Deixe uma resposta

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.