• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg
  • Santista
    Santista

Deficientes terão EPIs adaptados às suas condições

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Quem é profissional de segurança do trabalho sabe bem que a resistência que o empregado, muitas vezes, tem em relação a usar o equipamento de proteção individual (EPI) deve-se à dificuldade de encaixe do produto, prejudicando sua função. Por exemplo,

Como superar o desafio de fazer com que trabalhador e patrão cumpram a NR 6?

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

É claro que a maioria dos trabalhadores conhece os equipamentos de proteção individual (EPI), que são os dispositivos de uso individual destinados à proteção do empregado no ambiente de trabalho. Os capacetes, óculos, protetores auditivos, protetores faciais, luvas, calçados e cinturões, entre outros, estão listados no Anexo 1 da Norma Regulamentadora nº 6,

É possível a empresa fornecer um EPI que já foi usado?

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Hoje, trago um assunto de saúde e segurança do trabalho polêmico. Mais especificamente sobre se é correto o empregador entregar um equipamento de proteção individual que já foi utilizado por um empregado a outro, recém-admitido.

Como dispõe a norma regulamentadora 6 (NR6),

Capacete não é turbante

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

A seleção do capacete de segurança não é a mesma escolha de um turbante fashion.  Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Em verdade, o turbante é um acessório da cultura oriental, que simboliza proteção e respeito. Já o capacete de segurança é um equipamento de proteção individual e,

EPI indispensável, mas que não é obrigatório. Você sabe qual é?

https://go.hotmart.com/B5610719NPor Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Os males do trabalho a céu aberto não são considerados pela legislação brasileira. Mesmo que a Constituição Federal assegure a todos os trabalhadores a redução dos riscos ocupacionais, por meio de normas de saúde, higiene e segurança, lembro que o fornecimento de protetor solar para quem labora a céu aberto não faz parte da NR 6,