• Valor Crucial
    Valor Crucial
    banner
  • Santista
    Santista
  • Adix
    Adix

Proteção contra os riscos do benzeno

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Gasolina contém benzeno que é prejudicial à saúde do trabalhador (Foto Pixabay)

Sim, há no planeta moderno soluções que demonstram o quanto o mundo evoluiu. Infelizmente, apesar de certas invenções serem para o bem, paradoxalmente, elas apresentam um lado mal. Chego ao tema deste post. Falo do benzeno, que é uma substância química importante, usada como matéria-prima de remédios, plásticos, detergentes e corantes. Ocorre que ela é perigosa, pois pode causar doenças ocupacionais. Patologias em trabalhadores, desde uma dermatite cutânea, pois retira a gordura da pele, que é necessária à proteção, até doenças graves como leucopenia e leucemia, que atingem o sangue.

O produto é utilizado na indústria petroquímica, como intermediário do processo de síntese, e também nas refinarias de petróleo como componentes de gasolinas especiais e comum. Daí, se o benzeno é importante, por outro lado, é cancerígeno, e precisa ter seu uso controlado, para não provocar problemas na saúde dos trabalhadores e no ambiente.

Nos ambientes industriais e postos de combustíveis, é possível que a inalação de benzeno seja extremamente perigosa à saúde.

Com o passar do tempo e a exposição contínua ao produto, contato com a pele, por derramamento e, principalmente, por respiração, a emanação nas fábricas o material penetra no organismo pela respiração ou pele. No entanto, a respiração é uma das vias mais importantes de contaminação com o benzeno. Assim, há normas que regulamentam a exposição permitida.

O anexo 13 A, da NR 15 (de atividades e operações insalubres), trata especificamente dos limites de exposição ao benzeno. As normas são restritivas, reconhecendo que já que não há como não ter contato com o benzeno, e também como tecnologicamente é muito difícil chegar a uma emanação ou exposição zero, o melhor a fazer é segui-las ao pé da letra. As normas informam os valores permitidos que possam causar um menor risco. Tratam-se dos valores com minúsculas concentrações. No Brasil, permite-se uma parte do produto por milhão, pela via respiratória até oito horas de trabalho. Já em exposições curtas, permite-se 2,5 partes por milhão. As empresas que têm o benzeno em sua atmosfera devem lançar mão de métodos instrumentais para acompanhar a presença desses produtos. Entre o mais utilizado está a espectrometria de massa, que é uma técnica analítica física para detectar e identificar moléculas do benzeno por meio da medição da sua massa e da caracterização de sua estrutura química. Essa técnica funciona bem porque é rápida e abrange vários pontos de coleta, fazendo um monitoramento bastante amplo nas unidades industriais de grande porte. Quanto maior o número de pontos de análise, mais ágil precisa ser o método de monitoramento para atender a norma NR 15. Embora seja um equipamento adequado, há necessidade de outros, chamados de periféricos, como bombas, filtros e ar-condicionado no qual está instalado.

Sem dúvida, cumprir com as normas do benzeno é uma questão de vida ou morte. Se não houver um comprometimento das empresas na contenção das emanações do benzeno, trabalhadores que executam atividades aspirando o produto podem contrair doenças que os levarão à morte.

3 Comentários

  1. Dirce Aparecida Lima

    O benzeno pode afetar a saúde do ser humano através da inalação ou por contato direto com a substância. Ao utilizar um pano molhado com gasolina para limpar o tanque de combustível de um carro, o frentista acaba se expondo ao benzeno. A exposição a longo prazo vai se acumulando na medula óssea, podendo ocasionar vários tipos de câncer.

  2. Leandro

    O Benzeno é sempre um assunto complexo. Uma das melhores maneiras de monitorar este agente é através do Programa de Prevenção da Exposição Ocupacional ao Benzeno – PPEOB, do mesmo anexo 13-A citado no post.

Deixe uma resposta

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.