• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg
  • Santista
    Santista

Novo Ministério do Trabalho precisa priorizar a segurança ocupacional

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello é o ministro do Trabalho, quem conhece ele? (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Vamos ver como o Brasil se comportará em relação à área de saúde e segurança do trabalho com o novo ocupante do Palácio do Planalto a partir de 1º de janeiro. Atualmente, nem o nome do ministro do Trabalho é reconhecido pela população. Ele é o famoso quem?

Então, faço aqui o registro do titular da pasta, o advogado e desembargador aposentado Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello. A despeito de seu anonimato, ao menos o ministério está sendo conduzido por alguém de perfil técnico, deixando de lado a indicação política de partidos. Assim, espero que o próximo ministro do novo governo também mantenha uma qualificação técnica, dando mais moral à prevenção de acidentes nos ambientes ocupacionais, uma vez que as ocorrências são alarmantes.

Por exemplo, faço um recorte estatístico do estado da Bahia: os dados da Previdência Social, nos últimos cinco anos, indicam uma média anual de 23 mil acidentes ou doenças do trabalho. Desses casos, 116 resultaram em mortes e 1,1 mil causaram sequelas permanentes nos trabalhadores.

Logicamente, em termos de Brasil, a ‘tragédia’ é mais ou menos a mesma. Logo, o novo ministro precisa priorizar em suas políticas o problema da segurança do trabalho, disseminando a cultura da prevenção contra doenças e acidentes laborais. A política que envolve a segurança do trabalho precisa reconhecer que a preservação da vida de um empregado durante sua jornada é um direito fundamental que não tem preço. Não há argumento para manter ambientes de trabalho que não sejam seguros para os trabalhadores. Há ampla legislação que contempla os mais diversos setores produtivos e, em menor escala, fiscalização contra as irregularidades que colocam em risco a integridade física dos trabalhadores.

Agora, só falta torcer para que o novo governo inclua a segurança do trabalho como prioridade em suas políticas públicas.

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

Um Comentário

Deixe uma resposta

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.