• Extingue
    Extingue
  • Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg
  • Santista
    Santista

Google demite executivos por prática de assédio sexual

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Assédio sexual na Google. Qual que é o fim disto? (Foto Pixabay)

Multinacional de serviços online e software dos EUA, a Google, hospeda e desenvolve uma série de serviços e produtos baseados na internet. Ah, ninguém precisa explicar quem é Google, não é? Não sabe alguma coisa? Dá um ‘google’! Pois bem, a Google, sob o ponto de vista do trabalhador, é o grande sonho de ‘consumo’ de uma massa de profissionais ‘inteligentinhos’ que adoraria trabalhar nessa mega, super e moderna empresa, que tem escritórios em várias partes do mundo. Agora, uma notícia mostra que não há céu na terra no universo corporativo. Como assim? O assédio sexual vinha ocorrendo dentro das dependências da companhia americana, indo parar na Justiça.

O quiproquó foi resolvido com um comunicado da Google, informando que demitiu 48 pessoas por assédio sexual nos últimos 2 anos. Segundo a mensagem distribuída por porta-voz, dos 48 demitidos, 13 ocupavam cargos de gerência ou mais altos. Dois ‘big bosses’ da empresa informaram que todas as queixas sobre assédio sexual ou conduta inadequada foram investigadas, até a decisão de demitir os acusados. Foi uma tentativa de a empresa afirmar que não tolera esse tipo de situação em suas dependências após o jornal “NY Times” expor aos leitores, que Andy Rubin, que chefiou a criação do sistema Android, foi acusado de assédio em 2013 e acabou deixando a companhia com um bônus de US$ 90 milhões.

A Google explicou também que atualizou sua política interna para “exigir” que todos os altos executivos divulguem qualquer relacionamento com um colega de trabalho, independentemente da posição ou da presença de conflito. Pois é, se a Google quer se manter no topo das empresas que despertam o interesse de profissionais, precisa garantir que mantém um local de trabalho seguro que não tolera essas práticas inaceitáveis.

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

2 Comentários

Deixe uma resposta

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.