• Instituto Treni
    Instituto Treni
  • Portal PatiSeg
    Portal PatiSeg
  • FISP
    FISP
    banner
  • Santista
    Santista
  • Adix
    Adix

Cartilha “Benzeno não é flor que se cheire” é medida concreta em prol do trabalhador

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Campanha para o risco do benzeno para os frentistas é bem-vinda (Foto Pixabay)

Se as federações e os sindicatos de empregados continuarem no rumo em que estão, a saúde e segurança do trabalho vão melhorar. Explico: já fiz inúmeras críticas aos sindicatos de trabalhadores que só sentam em mesa de negociação com os empregadores para pedir aumento de salário. Ora, quem não quer ganhar mais, não é mesmo? Acontece que reivindicar condições de segurança adequadas também é assunto que precisa aparecer na pauta dos companheiros, e isso quase nunca acontece.

É claro que há exceções, e posso citar, por exemplo, o sindicato dos técnicos de segurança do trabalho do Paraná (Sintespar), que lida diariamente com campanhas de prevenção de acidentes e doenças ocupacionais. Foi, inclusive, do Sintespar a iniciativa da campanha Abril Verde, que, em tão pouco tempo de existência, já mobilizou a sociedade sobre a questão da segurança do trabalhador brasileiro. Mas, convenhamos, SST nunca esteve na lista de prioridade dos sindicados. Felizmente, um investimento feito pela Federação Nacional dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo (Fepospetro) e o Ministério Público do Trabalho de Bauru (SP), que contou com o apoio técnico da Fundacentro, mostra que a preferência das entidades pode ser a saúde e a qualidade dos trabalhadores. Trata-se da produção de cem mil cartilhas sobre saúde e benzeno, que integra a campanha “Benzeno não é flor que se cheire”, para serem entregues aos trabalhadores do setor. A produção da cartilha marca a etapa final da campanha, que desde o seu lançamento, em agosto de 2017, divulgou o problema do benzeno em seminários, debates públicos, palestras em postos de combustíveis e também em doze outdoors instalados ao longo das principais rodovias do estado de SP.

É isso aí, companheiros, é necessário divulgar os riscos da exposição ao benzeno, substância contida nos combustíveis, classificada como sendo potencialmente cancerígena.

Agora você pode ler este post também na PATISEG, portal digital de prevenção de acidentes de trabalho, incêndio e segurança eletrônica.

O que fazer com as instalações elétricas em ambientes com risco de explosão

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

As substâncias inflamáveis na forma de gases, vapores, poeiras e fibras com a presença de oxigênio resultam nas chamadas atmosferas explosivas. A atmosfera é considerada explosiva quando existe o manuseio do produto inflamável. Se, no local, houver fonte de ignição ou faísca, a combustão propaga-se até chegar a ocorrer uma explosão.

Quem pode ajudar as marisqueiras do Nordeste? O poder público? Então, senta e espera

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

O trabalho da pesca artesanal, em especial a extração de mariscos, realizada predominantemente por mulheres, as chamadas marisqueiras, acarreta doenças e acidentes de trabalho. O desgaste e o sofrimento em função da jornada de trabalho excessiva presente nessa modalidade laboral atingem mais de 50 mil famílias no Nordeste.

Culpado por acidente de trabalho pode cumprir pena de detenção. Não acredita? Melhor investir em segurança ou contratar bons advogados

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

A Justiça brasileira está passando por uma prova de fogo, com os magistrados das diferentes instâncias mostrando suas discordâncias sobre sentenças, cumprimento de penas e recursos judiciais. O exemplo mais claro vem do Supremo Tribunal Federal (STF), que é a suprema corte e última instância jurídica do País,

Técnico de segurança do trabalho, assim como o de futebol, deve motivar seus comandados a cumprir com o esquema tático de prevenção

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

O Brasil é um país campeão em acidentes de trabalho. Vamos chorar, gritar e espernear? Não, primeiramente vamos educar o empregado para a segurança do trabalho. Há um personagem dentro do cenário de prevenção de acidentes das empresas que tem um papel de destaque no processo educativo e de conscientização.

4º. encontro da Abendi prepara profissionais em atmosferas explosivas

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

As pessoas que trabalham em ambientes industriais com atmosferas explosivas precisam ser protegidas para que não sofram acidentes, e é responsabilidade das empresas promoverem as medidas de proteção aos riscos. Os profissionais que elaboram os estudos de classificação de áreas devem ser capazes de cumprir com o que oferecem às empresas que os contratam.

Homens trabalhando na pista e sem desvios no comportamente de segurança

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Leis, normas, regulamento e requisitos técnicos são o que não falta para a segurança dos trabalhadores no Brasil. O problema, infelizmente, é o tal do ‘jeitinho’ do povo, que não se incomoda em ferir os preceitos de proteção, especialmente no ambiente laboral. O resultado desse perfil são os números alarmantes de acidente de trabalho no País.

Segurança do trabalho: como diz o slogan deste blog, ‘o que vale é a prevenção’

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Infelizmente, o número de vítimas de acidentes de trabalho ainda é bastante alto. Quando o assunto é saúde e segurança ocupacional no Brasil a realidade é desanimadora. Nos últimos cinco anos, 15 mil empregados morreram por acidentes do trabalho. Portanto, a prevenção é imprescindível para mudar esse quadro.

Será que Neymar sofre com os riscos de acidentes de trabalho ou é tudo simulação?

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Neste período de Copa do Mundo, virou mania opinar sobre o estilo cai-cai de Neymar. Para uns, ele simula faltas excessivas. Para outros, ele é vítima dos adversários que não suportam os dribles do craque, abusando de lances de jogo agressivos contra o brasileiro.