• Adix
    Adix
  • Valor Crucial
    Valor Crucial
    banner
  • Santista
    Santista
  • FQL Solution
    FQL Solution

Trabalhador de limpeza: excesso de suor e falta de segurança

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Será que trabalhador de limpeza no Brasil é bem protegido? (Foto Pixabay)

Será que as empresas que prestam serviços de limpeza, anunciando serem perfeitas em excelência e qualidade, cuidam da saúde de seus empregados? Pois é, não nos esqueçamos de que é o trabalhador de limpeza que estará na linha de frente para cumprir todas as promessas feitas ao cliente pela terceirizada, não é mesmo? Porém, as doenças e acidentes de trabalho sofridos pela categoria mostram que há descaso dos empregadores em relação aos riscos ocupacionais. E não são poucos. Trabalhar nessa área expõe os empregados a riscos diversos, desde o biológico, em função do contato com os produtos químicos de limpeza, como também choques elétricos, quedas, torções e problemas  devido aos movimentos repetitivos.

Como se vê, há muito suor e pouco refresco nessa lida dos trabalhadores. Mas, o que não pode é haver falta de prevenção. As terceirizadas devem cumprir com responsabilidade todos os procedimentos de segurança para preservar a saúde de suas equipes. Primeiramente, a empresa deve investir, comprando produtos de limpeza que não sejam tão perigosos. Ou seja, nada de adquirir produtos pirata e baratinhos que não tenham rótulos, informando seus componentes químicos e sobre o que fazer em caso de incidentes. Também é obrigação da empresa fornecer os equipamentos de proteção individual (EPI) adequados, como luvas, óculos e máscaras. A empresa deve fazer a manutenção periódica do aspirador de pó, enceradeira e lavadora. Além disso, os trabalhadores devem passar por exames médicos periódicos para avaliação da saúde. Quanto ao empregado, dou uma dica: deixe a humildade de lado, ficando atento aos riscos aos quais está exposto. Sentiu que os olhos estão lagrimejando e o nariz escorrendo por muitos dias, informe, imediatamente, esses sintomas ao supervisor. Não espere ter tosse, chiado, aperto no peito e até falta de ar para ir ao médico.

Além disso, durante a atividade operacional, os trabalhadores devem tomar algumas precauções como borrifar primeiro o produto sobre o pano antes de limpar as superfícies. Nos ambientes, não se esquecer de abrir portas e janelas durante a limpeza, principalmente em locais pequenos como banheiros e escadas. Umedecer o piso antes de varrer ou passar um pano úmido. Nunca misturar produtos de limpeza, pois entre seus componentes pode ocorrer uma reação química perigosa para a saúde.

Análise preliminar de risco: ‘livro’ de cabeceira dos trabalhadores

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Não vou escrever como se faz uma Análise Preliminar de Risco (APR) para técnico de segurança do trabalho. Quem estudou para isso e é profissional, tem obrigação de saber. Repito que minha proposta neste blog é fazer análises aguçadas sobre segurança ocupacional,

Não se deixe enganar em atmosferas explosivas

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Uma área com a presença de substâncias inflamáveis pode resultar em explosões demolidoras e trágicas. Esses acidentes, em geral, são desencadeados por algum equipamento elétrico impróprio, que atua como fonte de ignição em ambiente com atmosferas explosivas.

Tenho escrito semanalmente sobre áreas classificadas,

Proteção contra os riscos do benzeno

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Sim, há no planeta moderno soluções que demonstram o quanto o mundo evoluiu. Infelizmente, apesar de certas invenções serem para o bem, paradoxalmente, elas apresentam um lado mal. Chego ao tema deste post. Falo do benzeno, que é uma substância química importante, usada como matéria-prima de remédios,

Garimpeiros de Caulim: não é fácil… e muito triste a realidade insegura deles

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Ao escrever sobre atividades laborais em que o trabalhador não tem carteira assinada, aquelas que não são regidas pela Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), acho espantoso como há pessoas que ganham seu sustento arriscando a vida. E não estou falando de dublê de filme de ação.

Transporte de cargas perigosas: cumpra com o que a lei determina

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Não causa nenhuma estranheza afirmar que transportar produtos perigosos é uma atividade de risco. Apenas no ano passado, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), atendeu 2.202 acidentes nas rodovias envolvendo caminhões transportando produtos ariscados.

Há regras para esse tipo de transporte,

Doenças relacionadas ao trabalho: notificar é preciso

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Não há como negar que, de todas as doenças relacionadas ao trabalho, as “Lesões por Esforços Repetitivos (LER)” e “Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho” (DORT) são as mais populares e conhecidas das pessoas. Mesmo assim as LER/DORTs são de difícil diagnóstico,

Quando os grãos deixam de ser comestíveis para se tornarem perigosos

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Parece não ser difícil de imaginar que indústria dos setores químico e petroquímico, que contém substâncias inflamáveis, pode explodir. Afinal, há claramente nessas instalações as chamadas atmosferas explosivas.

O que é contestável, pelo menos aos que não são profissionais em áreas classificadas,

Exames ocupacionais: o admissional é tudo de bom, o periódico é necessário, mas o de demissão, ah, que melancólico!

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Emprego está difícil, mas quando a empresa bate o martelo, chamando o candidato para confirmar sua admissão, é só alegria… Bem, a partir desse momento é que começa a parte burocrática com a entrega dos documentos e a requisição para o trabalhador submeter-se ao exame admissional.

Saúde e proteção às pescadoras marisqueiras

Por Emily Sobral

Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Sabemos que cada atividade produtiva oferece riscos. No emprego com carteira assinada, a insegurança do ambiente de trabalho é tratada com mais rigor, pois as normas e fiscalização ameaçam os patrões.

Já quem labora livre, leve e solto, tirando o sustento com a extração de mariscos na costa litorânea do Nordeste,